Expectativa para Champions League Feminina: torcedores falam sobre o momento

Próximo à final da UEFA Champions League Feminina, Barcelona e Chelsea já estão nos preparos. A partida, que acontece domingo (16), traz um título inédito para um dos dois clubes e irá acontecer no estádio Gamla Ullevi, em Gotemburgo, na Suécia.

De um lado, o Barcelona, time que ganhou do favoritíssimo PSG, tem grandes nomes, uma base sólida e já chegou na final e perdeu para o Lyon – maior campeão da competição – na temporada 2018/19.

Do outro, o Chelsea, chegando em sua primeira final, com um trabalho muito bom da técnica Emma Hayes, um time que teve boas contratações e eliminou o Bayern na semi – equipe que vem se tornando potência.

O clube inglês ainda tem a chance de fazer algo inédito: conquistar a Champions Feminina e Masculina na mesma temporada, visto que o time está na final das duas competições.

Os dois vêm fortes e reúnem torcida aqui no Brasil. Diante disso, a reportagem da TNT Sports foi atrás de algumas pessoas e suas histórias com o futebol feminino.

 

ACOMPANHANDO A CHAMPIONS

A categoria feminina do futebol começou a ser mais vista há pouco tempo. Portanto, ainda é muito difícil conseguir acompanhar todos os jogos. Mas a paixão pelo futebol faz os fãs irem atrás de qualquer cobertura.

“Na internet, muita gente ajuda a achar algum link para assistir aos jogos, o que facilita muito”, contou a carioca Nina Ribeiro, torcedora do Barcelona.

Em clima de ansiedade, a Nathalia Tavares, de 21 anos, é torcedora do Chelsea e estará acompanhando o time neste domingo e fala um pouco sobre o diferencial do time.

“ Honestamente acredito que nosso maior diferencial está no banco de reservas: Emma Hayes. A treinadora está no time há quase uma década e sabe muito bem como se deu o processo de desenvolvimento do futebol feminino no Chelsea até o momento atual, em que iremos disputar nossa primeira final europeia. Emma sempre é muito transparente quanto à forma como ela trabalha e se relaciona com suas jogadoras e com o clube e, sem dúvidas, por reconhecer bem o momento em que ela se encontra, ela é capaz de afetar a dinâmica de jogo do time com muita facilidade, em especial nos momentos de aperto”, disse sobre o Chelsea.

Pelo lado do Barcelona, o outro finalista, Nina Ribeiro (21) e Greyce Francisco (23) também estarão na torcida.

“ O Barcelona está mais forte do que nunca, acredito que o aprendizado obtido nas eliminações mais recentes está sendo visto em campo e a chegada até a final na Champions, a conquista da Primeira Iberdrola [Campeonato Espanhol Feminino] e semifinalista da Copa da Rainha demonstra isso. Em diversos jogos, tivemos algumas baixas durante essa caminhada e mesmo assim, estamos aqui! Em busca de mais um título, dessa vez, inédito”, contou Greyce sobre o Barcelona.

As três acompanham o futebol desde de pequenas e, antes de conhecer o feminino, tinham uma grande paixão pela camisa na categoria masculina. Nath, Nina e Greyce tentam não perder uma partida de seus times.

Com a possibilidade de conquistar um título inédito, a sensação é outra. Do lado do Chelsea, Nathalia acha que seria uma forma de coroar o trabalho: “Só de pensar fico emocionada. Não sei se seria capaz de descrever a sensação. Mas uma coisa é certa: seria a forma perfeita de coroar um projeto e uma equipe que se doaram 100% dentro e fora de campo pelo Chelsea”.

Já pelo Barcelona, que chegou em final da Champions e não conquistou, Nina falou sua expectativa: “Acredito que não consigo mensurar em palavras, tudo que eu conseguir falar vai ser pouco pra representar a possibilidade de ganhar esse título, de verdade. Seria uma emoção diferente de todos os títulos que o clube em um todo já possui”.

 

JOGADORA FAVORITA

Chelsea e Barcelona possuem grandes nomes em seus elencos, destaques mundiais. Mas sempre há uma jogadora favorita.

Alexia Putellas e Oshoala são as jogadoras favoritas da Nina e Greyce, respectivamente. As duas são destaques do time e super conhecidas pelos torcedores.

Eriksson é um dos grandes nomes do Chelsea e a jogadora favorita da Nathalia. Ela é capitã do time inglês e já viveu muitas coisas com os Blues.

Como boas torcedoras e supersticiosas, as três não puderam contar o que prometaram, para não influenciar o jogo. Mas todas têm boas histórias para contar.

Essa é uma das definições de torcedores! E aí, para quem você vai torcer?

  

Comentários