Exposição com 350 fotos destaca arquitetura da Jaguariúna antiga na Praça Umbelina Bueno

A história de uma cidade moderna e progressista, como é a Jaguariúna atual, pode ser contada de várias formas, e destacar sua arquitetura é uma delas. Esse é o objetivo da exposição “História e Memória Arquitetônica do Velho Jaguary – Reconstituindo sua Paisagem Cultural”, organizada pela Prefeitura por intermédio da Casa da Memória “Padre Antônio Joaquim Gomes”, que teve sua abertura na tarde desta quinta-feira, 27 de setembro.

O coordenador da Casa da Memória, professor e historiador Tomaz de Aquino Pires, demonstrou sua satisfação em poder, mais uma vez, organizar um evento que preserva a memória do município, sobretudo como referencial para os mais jovens. “Um povo sem memória perde muito de sua identidade, mas aqui em Jaguariúna, felizmente, temos o apoio da Prefeitura e estamos conseguindo desenvolver um bom trabalho”, elogiou.

O acervo reúne 350 fotos divididas em 38 painéis expostos na área externa da Casa da Memória, que faz parte da Praça Umbelina Bueno e podem ser conferidas permanentemente. De acordo com o historiador, são imagens ricas em detalhes de construções com muros de taipa de pilão (erguidos por escravos) e telhas moldadas nas coxas por negros escravos. “Vem daí a expressão ‘feita nas coxas’, pois não havia um molde único para as telhas”, explica.

A exposição mostra ainda, períodos de destaque como o dos casarões, as estações ferroviárias e pontes erguidas pelos Barões do Café, além dos primeiros trilhos que marcaram muito e estão presentes até hoje na identidade de Jaguariúna enquanto município que se formou, em parte, ao longo das linhas da antiga Companhia Mogiana de Estradas de Ferro.

Um destaque arquitetônico é a Matriz de Santa Maria, erguida em 1894 no centro da Praça Umbelina Bueno, surgindo ao redor as primeiras 39 quadras e 15 ruas do centro. Presente à abertura da exposição, o prefeito Gustavo Reis elogiou o trabalho desenvolvido pela Casa da Memória. “Somos referência em muitas coisas e saber que a memória de nosso povo é muito bem cuidada é motivo de orgulho, por isso, estaremos sempre juntos, pois valorizamos o passado e trabalhamos por um futuro cada vez melhor”, disse.

  

Comentários