Internações de menores de 18 anos em UTI covid sobem 61% em SP, diz Doria

O número de internações de crianças e adolescentes, menores de 18 anos, em UTI (unidade de terapia intensiva) com covid-19 subiu 61% entre dezembro e janeiro em São Paulo. Aumento acompanha alta geral nos índices de internação no estado.

Governador João Doria exibe comprovante de vacinação, em maio deste ano - Divulgação/Governo de São Paulo

Governador João Doria exibe comprovante de vacinação, em maio deste anoImagem: Divulgação/Governo de São Paulo

Segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo, as hospitalizações pediátricas em leitos de alta complexidade saltaram de 109, em 15 de novembro de 2021, para 171 em 10 de janeiro, antes do início da vacinação infantil.

O anúncio, feito em coletiva hoje pelo governador João Doria (PSDB), se dá um dia antes da decisão do último pedido de aprovação da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Uma população não vacinada, mais vulnerável, portanto aqueles menores de 17 anos, tem tido uma elevação significativa, em mais de 61%.. Em dois meses, tivemos um número que saltou de 106 pacientes internados em UTI, graves, para 171”, afirmou o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn.

O aumento das hospitalizações na UTI pediátrica de covid acompanha uma alta geral dos índices da pandemia no estado, que voltou a ultrapassar 50% de ocupação geral.

Com números até a última terça (18), o estado tinha índice de ocupação de 54% e a Grande São Paulo, de 60%. Gorinchteyn apontou, no entanto, que o número total de leitos é muito inferior aos do pico da pandemia, no primeiro semestre de 2021.

“É muito importante lembrarmos que, a despeito desses números percentuais, quando olhamos o número absoluto, vemos que os internados em UTIs são 2.842. No pico da primeira onda, tivemos 6,5 mil. No pico da segunda onda, só nas UTIs, tivemos 13,1 mil pessoas internados. Portanto, é um número bem menor”, argumentou o secretário.

“Os dados evidenciam a necessidade de acelerarmos a vacinação infantil. Aliás, poderíamos tê-la iniciado mais cedo, se não fosse o Ministério da Saúde”, criticou Doria, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Fonte: Uol
  

Comentários