Janeiro Branco reúne mais de 500 pessoas em Jaguariúna

A campanha Janeiro Branco em Jaguariúna, ocorrida ao longo do domingo, dia 15 de janeiro, no Parque dos Lagos, recebeu mais de 500 pessoas, que participaram de atividades desenvolvidas por alunos (11 estudantes) e ex-alunos (20) da Faculdade de Jaguariúna (FAJ).

A programação contou com quatro rodas de conversa para públicos diferentes, divididos em 30 pessoas em cada módulo. Ainda teve dinâmica com um professor de educação física, que mostrou a importância de fazer exercícios, e uma meditação comunitária com todos os participantes.

Assim que entravam no parque, as pessoas eram abordadas por psicólogos que explicavam a finalidade da campanha e convidavam para as atividades de acordo com o público. “Se eram pais, convidávamos para as rodas de conversa de pais. Se eram jovens, convidávamos sobre a roda de conversa de dependência química, se eram crianças, convidávamos os pais para levarem-nas para o quiosque onde outras psicólogas conduziam atividades educativas, como oficina das emoções, oficina de consciência corporal, desenhos, pintura, jogos”, conta a psicóloga Grace Baticioto Benato, uma das organizadoras do evento.

Os espaços do parque também foram ocupados por cartazes com estatísticas de saúde mental, sobre os temas de ansiedade, depressão, stress, suicídio, assédio moral no trabalho, assédio de mulheres, dentre outros. “Fizemos uma dinâmica de ‘Adote um sentimento positivo para cuidar em 2017’, e muitos participaram. Outra atividade que teve bastante engajamento foi a dinâmica do abraço. Psicólogos e estudantes se revezavam para segurar uma placa com o dizer ‘Me dá um abraço?’, e a população vinha, abraçava e criava um clima muito agradável de descontração”, rememora Grace.

Os organizadores também distribuíram poesias, panfletos explicativos sobre a campanha e dicas de como manter a saúde emocional. Ao longo do dia, psicólogos ficaram disponíveis para realizar plantão psicológico.

“O evento foi ótimo, conseguimos nosso objetivo de alcançar os diversos públicos (crianças, adolescentes, adultos e idosos) e conscientizá-los sobre a importância de manter o cuidado com a saúde mental e emocional. Por ser o primeiro evento e por não termos tido tempo hábil para divulgação e organização, foi um sucesso. Foi de extrema importância para a cidade”, afirma Grace.

  

Comentários