“Janeiro Roxo” reforça campanha contra a hanseníase

A Secretaria de Saúde de Mogi Guaçu entrou na campanha “Janeiro Roxo”, em que o foco é o combate à hanseníase. O trabalho desenvolvido pela Vigilância Epidemiológica do Município também envolve conscientização contra verminoses e tracoma.

Por isso, a campanha “Tem Cura” é toda focada para a prevenção em casa ou na escola. A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa e transmitida de uma pessoa doente, que não esteja em tratamento, para uma pessoa saudável suscetível. Embora tenha cura, a doença pode causar incapacidades físicas se o diagnóstico for tardio ou se o tratamento não for feito adequadamente.

A orientação é que as pessoas procurem o serviço de saúde assim que perceberem o aparecimento de manchas, de qualquer cor, em qualquer parte do corpo, principalmente se ela apresentar diminuição de sensibilidade ao calor e ao toque. Após iniciado o tratamento, o paciente para de transmitir a doença quase imediatamente.

Verminoses causam dores abdominais, diarreia, anemia, perda de pesa, palidez excessiva, barriga grande e sangramento intestinal. Esquistossomoses não apresentam sintomas, mas pode ocorrer febre, dor abdominal, falta de apetite, diarreia ou prisão de ventre. Tracoma causa coceira nos olhos, lacrimejamento, irritação, ardor, intolerância à luz e sensação de areia nos olhos. Em alguns casos não apresentam sintomas.

Havendo sintomas de alguma doença, a orientação é que a pessoa procure por atendimento em alguma UBS (Unidade Básica de Saúde) ou USF (Unidade de Saúde da Família). Sobre o “Janeiro Roxo”, as unidades de saúde contarão com palestras, conversas, busca ativa e investigação de possíveis casos.

“O objetivo é alertar a sociedade civil sobre os sinais e sintomas da hanseníase e incentivar a procura pelos serviços de saúde e mobilizar os profissionais quanto à busca ativa dos casos novos”, informou a enfermeira Rosa Maria Pinto, da Vigilância Epidemiológica.

Matéria: ASCOM

 

  

Comentários