Kartódromo San Marino se consolida como “celeiro” de campeões

Pilotos formados no complexo, localizado em Paulínia (SP), conquistaram ao menos 25 títulos oficiais desde a inauguração, em 2011, levando-se em conta os campeonatos Brasileiro, Copa Brasil de Kart, Sul-Americano de Kart e 1º Troféu Troféu Ayrton Senna de Kart

Em quase nove anos, desde a sua inauguração, o Kartódromo Internacional San Marino, em Paulínia (SP), não apenas preencheu a lacuna deixada pela desativação do Kartódromo Municipal “Afrânio Ferreira Júnior” – que ficava localizado no complexo esportivo do Parque Taquaral, em Campinas – como também vem se consolidando como um verdadeiro “celeiro” de campeões. No total, foram ao menos 25 títulos de relevância nacional e internacional, apenas nos campeonatos Brasileiro, Copa Brasil de Kart, Sul-Americano de Kart e 1º Troféu Ayrton Senna.

E quem reafirma esse status são os próprios pilotos que já treinaram, ainda treinam ou que atuam como coaching no complexo, como Alex Grigoletto, Abel Reigada, Carlos Marcelino, Rodrigo Soares e Rodrigo Pacetta, além do primeiro preparador a instalar sua escuderia no complexo, Helvecio Peluso, mais conhecido como Biro.

“Tenho uma convicção pessoal”, destaca Abel Reigada, com dados que ele tem prontos, de memória. Apenas na categoria F4 Sênior, lembra Reigada, são seis títulos brasileiros: dois do piloto Bruno Lima (2012 e 2014), dois dele (2015 e 2016), um de Alex Grigoletto (2018) e o título conquistado pelo piloto Alain Sisdeli, em 2019.

Mas há ainda outros dois títulos Brasileiros de Sisdeli, em 2014 e 2017, na Sênior A, que não entraram na conta de Reigada, além dos Brasileiros conquistados em 2014, na Super F4, por André Salmoria; em 2016, na Sênior A, por Rodrigo Soares (Digão); em 2017, na Shifter Sênior, por Valdir Belizário Júnior, e em 2019, na Sênior B, por Felipe Santo André.

E considerando a Copa Brasil de Kart, segundo campeonato nacional mais importante, há mais sete títulos que vieram para Paulínia: dois de Alain Sisdeli na Sênior A, em 2015 e 2016 ; um de Bruno Lima na F4 Sênior, em 2016; o de Rodrigo Pacetta na F4, em 2017; dois  campeonatos conquistados pelo piloto e chefe de escuderia Carlos Marcelino, em 2016 (F4) e 2018 (Super Sênior Master), e em 2019, na KZ Sênior, por Valdir Belizário Júnior. Até aqui, 19 títulos entre o Brasileiro e a Copa Brasil de Kart.

Se somarmos a esse total os títulos do campeonato Sul-Americano de Kart de 2015 (categoria Sudam Sênior) e 2016 (Sênior A), de Alain Sisdeli, e de 2018, conquistado pelo piloto João Pedro Maia na Codasur Júnior, além dos últimos títulos garantidos à Paulínia pelos pilotos Alex Grigoletto, Rafael Caputi e Murilo Fiore – campeões do 1º Troféu Ayrton Senna de Kart 2020 nas categorias F4 Sênior, Sprinter e F4 Graduados, respectivamente – teremos ao menos 25 títulos conquistados por pilotos do Kartódromo San Marino, desde 2011.

“O San Marino tem uma pista que permite vários traçados, tanto no sentido horário quanto no anti-horário, às vezes mais travados, com mais curvas e menos velocidade de reta, mas, por assim dizer, mais técnicos, e traçados de mais alta velocidade. Essa variedade de conduções, para os pilotos, ajuda a desenvolver demais. É um kartódromo diferenciado”, observa Reigada.

Outra peculiaridade do San Marino, conforme o piloto, é o asfalto. “Responde com muita variação de performance ao longo do dia, conforme as temperaturas se elevam ou esfriam, por conta do sol, por conta do vento, então o acerto do carro é muito exigido”, explica Reigada.

De acordo com o piloto, no San Marino é possível chegar a um nível tão elevado de sintonia com o kart que, nos campeonatos oficiais, tudo fica mais fácil. “As condições são menos variantes, então a capacidade de ler a resposta do carro e achar os acertos ideais para otimizar a performance acaba sendo muito mais fácil”, conclui.

 

Boa estrutura

Rodrigo Soares, o Digão, acredita que a junção de pista técnica com a presença de bons pilotos é que faz do Kartódromo San Marino um “celeiro” de campeões. “Você pode ter uma pista super difícil, mas se você não tem os pilotos no local, para elevar esse nível, você não forma novos pilotos”, avalia.

Como piloto e chefe de escuderia sediada no San Marino, Carlos Marcelino vai na mesma linha e ressalta a presença de boas equipes no complexo. Mas faz questão de ressaltar o fato de a pista ser muito bem cuidada. “Acho que é um celeiro de campeões. Primeiro, pela concentração de grandes equipes, desde o Petrukio-HRA, que lida com as crianças, até a minha, que tem pilotos de Super Sênior Master, nascidos de 64 para baixo. São várias. E a concentração de ótimas equipes gera ótimos pilotos. Também pelo carinho que a equipe do San Marino tem com o kartódromo, a pista é super bem cuidada”, analisa.

Para o piloto Alex Grigoletto, “sem dúvida, a escolha dos administradores (do San Marino) de fazer com que cada mês seja uma pista diferente faz com que os pilotos tenham que treinar e se adaptar aos traçados estipulados. O que ajuda a aperfeiçoar as técnicas”, afirma.

Outro ponto a destacar em relação ao San Marino, segundo Grigoletto, é um tipo de sintonia fina que a administração mantém com os pilotos e frequentadores. “A administração sempre está colhendo informações e feedbacks, para melhorar tanto a estrutura, os campeonatos e também (promover) melhorias, para agradar a todos.”

O piloto Rodrigo Pacetta também concorda com o fato do San Marino ser um verdadeiro “celeiro” de campeões e é direto ao apontar os motivos que levaram a isso: “os traçados, o asfalto, a competência das equipes e a competitividade entre os pilotos”, resume.

Por fim, o primeiro preparador que se instalou no Kartódromo San Marino, em outubro de 2011, Helvecio Peluso, mais conhecido como Biro, também cita a infraestrutura e o alto nível dos campeonatos como motivos para tantas conquistas dos pilotos.

“Acho que o principal ponto são as variações de traçado que o kartódromo tem e também o fato de alterar sempre o sentido. Tem muitos traçados que se assemelham com traçados de fora (outras pistas) e isso ajuda bastante os nossos pilotos”, explicou.

 

Títulos conquistados desde a inauguração do Kartódromo Internacional San Marino, em 2011

 

 

André Salmoria                    campeão Brasileiro de Kart (2014)
Bruno Lima                           2x campeão Brasileiro de Kart (2012 e 2014)

campeão Copa Brasil de Kart (2016)

Carlos Marcelino                  2x campeão Copa Brasil de Kart (2016 e 2018)
Felipe Santo André              campeão Brasileiro de Kart (2019)
João Pedro Maia                 campeão Sul-Americano de Kart (2018)
Murilo Fiore                          campeão Troféu Ayrton Senna (2020)
Rafael Caputi                       campeão Troféu Ayrton Senna (2020)
Rodrigo Pacetta                   campeão Copa Brasil de Kart (2017)
Rodrigo Soares (Digão)       campeão Brasileiro de Kart (2016)
Valdir Belizário Júnior          campeão Brasileiro de Kart (2017)

campeão Copa Brasil de Kart (2019)

 (Fotos: Fernando Camargo e Vagner Ferreira)

  

Comentários