Mogi Guaçu assina contrato para construção de segundo módulo de tratamento de esgoto

Mogi Guaçu é a primeira cidade do Brasil a assinar contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal dentro do programa Avançar Brasil – Saneamento, aprovado pelo Governo Federal. Serão R$ 23,6 milhões a serem investidos para a construção do segundo módulo da ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) da Avenida Brasil.

A assinatura do contrato ocorreu na manhã desta terça-feira, dia 11, na Sala de Vídeo do Centro Cultural de Mogi Guaçu, com a presença do prefeito Walter Caveanha, do superintendente do SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Elias Fernandes de Carvalho, do presidente da Câmara, vereador Luiz Zanco Neto, além dos vereadores Natalino Tony Silva e Thomaz de Oliveira Caveanha, de secretários municipais e de outras autoridades do Município e também da região.

Compareceram à solenidade a superintendente regional da Caixa, Cecília Helena Bomfim, o gerente regional Evandro Nobre Cruz, o gerente da Filial de Governos Márcio Capato, além de representantes da Superintendência Regional da Caixa de Piracicaba e das agências Caixa de Mogi Guaçu.

O contrato de operação de crédito no valor de R$ 23,6 milhões em obras voltadas para o esgotamento sanitário do município é o primeiro do país dentro do Programa Avançar Cidades – Saneamento, na modalidade Esgotamento Sanitário, e serão aplicados na implantação de estação de tratamento de esgoto junto à ETE Avenida Brasil.

A liberação do recurso acontecerá de acordo com cronograma financeiro apresentado pela Prefeitura, conforme andamento da obra. O financiamento terá carência de 24 meses para início da amortização, que ocorrerá em 240 meses.

O superintendente do SAMAE, Elias Fernandes de Carvalho, lembrou que Mogi Guaçu tem obtido muitos créditos, inclusive a fundo perdido – sem a necessidade de devolução – através do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), para obras “enterradas”, como nos casos de substituição de redes de esgoto e de galerias de água tratada.

“Não perdemos nenhum Fehidro até agora porque entendemos da importância que é substituir as redes mais antigas para evitar vazamentos que ocorrem frequentemente em nossa cidade”, disse. A superintendente regional da Caixa elogiou a celeridade do Município para obter estes recursos, além de outros projetos que estão na iminência de aprovação e de assinatura de contrato.

“Fomos desafiados com este projeto, que não é só importante com o presente, como também demonstra preocupação com o futuro da cidade”, disse Cecília Helena, que elogiou o prefeito Walter Caveanha por liderar uma equipe que elaborou um projeto tão bem feito para garantir esgoto tratado para as próximas gerações.

Já o prefeito não escondeu a satisfação pelo Município ter alcançado tamanho feito, fruto de um trabalho que começou em 2013, quando havia dívidas de curto e médio prazo de aproximadamente R$ 130 milhões, que impediam o Município de ter certidões negativas de débito e, consequentemente, de obter crédito para operações como a que foi assinada nesta terça-feira.

O Município cumpriu rigorosamente todas as etapas do projeto levado para Brasília para conseguir aprovação junto ao Ministério das Cidades. “Também quero agradecer à Câmara por acreditar nesse projeto que foi feito pensando no futuro, porque teremos a condição de atingir um nível de eficiência extraordinário no tratamento de esgoto”, pontuou.

  

Comentários