Mogi Guaçu supera a meta do Ideb

O Ministério da Educação (MEC) divulgou a pontuação dos municípios brasileiro no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com base nos dados de 2015. A rede pública de ensino de Mogi Guaçu conseguiu superar a meta estabelecida tanto para os anos iniciais (1º ao 5º ano) quanto para os anos finais (6º ao 9º ano).

Do 1º ao 5º ano Mogi Guaçu alcançou a nota de 6,5, a meta estipulada para era de 5,9. Nos anos finais a nota obtida é de 5,3, sendo que a meta era de 5,2. Para efeito de comparação Mogi Guaçu superou até mesmo a meta do ano de 2019 que é de 6,4 nos anos iniciais. Com isso a cidade está entre os 74,7% municípios que conseguiram superar as metas para as sérias iniciais da educação básica. Essa é a melhor nota obtida por Mogi Guaçu no Ideb.

O crescimento no Ideb de Mogi Guaçu reforça o que foi mostrado pela Folha de São Paulo, através de um mapa detalhado sobre o nível de eficiência das gestões dos municípios brasileiros. Tal estudo apontou que em Mogi Guaçu tem investido mais que a média nacional na área da Educação. Segundo o estudo, o município investe 33% de sua receita total em Educação, quando a média no Brasil é 32%.

Itapira conquistou a nota de 6,2 (do 1º ao 5º ano) e a meta era de 6,1, e a nota de 4,8 (do 6º ao 9º ano) e a meta era de 5,4. Mogi Mirim conquistou a nota de 5,8 (do 1º ao 5º ano) e a meta era de 6,1, e a nota de 4,6 (do 6º ao 9º ano) e a meta era de 5,4.

Brasil

O índice nos anos iniciais do Ensino Fundamental vem evoluindo progressivamente desde que o Ideb começou a ser calculado, em 2005, permitindo o monitoramento das escolas e das redes de ensino. O Ideb passou de 3,8, em 2005; para 5,5, em 2015, superando as metas estipuladas. Este ano, apenas três estados não alcançaram as metas: Amapá, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Os anos finais do Ensino Fundamental também melhoraram no índice, passando de 4,2, em 2013; para 4,5, em 2015; embora não tenham alcançado a meta para este ano, de 4,7. Nesse nível de ensino as responsabilidades estão divididas: a rede estadual responde por 43,6% dos alunos e a rede municipal, por 41,7%. Cinco estados superaram a meta: Goiás, Ceará, Mato Grosso, Amazonas e Pernambuco.

O índice

O Ideb é um indicador de qualidade dos ensinos fundamental e médio, divulgado a cada dois anos. O índice é calculado com base em dados sobre aprovação e desempenho escolar obtidos por meio de avaliações do MEC. Desde a criação do indicador, em 2005, foram estabelecidas metas que devem ser atingidas por escolas, prefeituras e governos estaduais.

As metas intermediárias são diferenciadas para cada ente federativo e escola, porque cada um partiu de um ponto distinto em 2005. O objetivo é que o país atinja o Ideb nos 6 anos iniciais do ensino fundamental até 2021 e nos anos finais até 2025.

O ensino em números

Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º ano)

117,9 mil escolas oferecem os anos iniciais nas redes pública e privada;

15,5 milhões de alunos estão matriculados nos anos iniciais do Ensino Fundamental;

10,5 milhões (68,1%) estão matriculados em escolas municipais. Esse total representa 82,5% das matrículas na rede pública;

 

Ensino Fundamental – Anos Finais (6º ao 9º ano)

62,4 mil escolas oferecem os anos finais nas redes pública e privada;

12,4 milhões de alunos estão matriculados nos anos finais do Ensino Fundamental;

41,7% deles estão na rede municipal;

43,6% deles estão na rede estadual;

 

Ensino Médio

28 mil escolas oferecem o Ensino Médio nas redes pública e privada;

8 milhões de alunos estão matriculados no Ensino Médio;

23,6 % desses estudam no período noturno;

84,4% estão na rede estadual, que concentra 97,1% das matrículas da rede pública

Ideb-B-623x350

  

Comentários