Mogi Mirim registra mais duas mortes por dengue

A Vigilância em Saúde informou, nesta terça-feira (28), mais duas mortes por dengue em Mogi Mirim. De acordo com o órgão, vinculado à Secretaria de Saúde, trata-se de uma mulher, de 56 anos, e um homem, de 72 anos, ambos moradores no Centro. Essa é a terceira morte confirmada por dengue no ano na cidade. O primeiro caso foi registrado em um homem de 93 anos, morador do bairro Santa Luzia, zona Norte, que faleceu em janeiro.

Os motivos pelas duas novas mortes são embasados em um exame de sorologia de dengue realizado pela Secretaria de Saúde em um laboratório credenciado no próprio município. A Prefeitura ainda aguarda a chegada de exames do Instituto Adolf Lutz, em São Paulo.

Até a última quinta-feira (23), a cidade registrava 1.773 casos positivos, segundo o boletim semanal divulgado pela Vigilância em Saúde, além de outras 5.040 notificações. Um balanço será divulgado nesta quinta-feira (30), com provável cenário de aumento da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.
A região central, até a última semana, era a terceira região da cidade com mais casos de dengue, 193, atrás da zona Leste, com 326, e zona Norte, com 935.

Segundo o Ministério da Saúde, todas as faixas etárias são suscetíveis à dengue de forma igualitária, mas as pessoas idosas têm maior risco de desenvolver dengue grave e outras complicações que podem levar à morte. O risco de gravidade e morte aumenta quando a pessoa possui alguma doença crônica, como diabetes e hipertensão, mesmo tratada.

  

Comentários