fbpx

Oito candidatos a vereador receberam auxilio emergencial segundo TCU

Em Mogi Guaçu, oito candidatos a vereador estão na lista do Tribunal de Contas da União (TCU) que declararam patrimônio igual ou superior a R$ 300 mil e que receberam alguma parcela do auxílio emergencial até julho de 2020.

Por meio de despacho assinado na última sexta-feira (06), o ministro Bruno Dantas tornou pública, a lista.

São eles:

  1. Alexandre Peres Carelli (Patriota) – Bens declarados: R$ 4.850.000,00
  2. Davi Dias dos Santos (MDB) – Bens declarados: R$ 750.000,00
  3. Wilson Paulino Ribeiro (Patriota) – Bens declarados: R$ 482.500,00
  4. Dayse Gomes Ferreira (PSDB) – Bens declarados: R$ 463.000,00
  5. Diego Kuhnen (MDB) – Bens declarados: R$ 425.000,00
  6. Carlos Jose da Silva (Avante) – Bens declarados: R$ 375.000,00
  7. Bruno Luís Gotti Sposito (PSB) – Bens declarados: R$ 350.000,00
  8. Marcos Antonio Marcelino (PSB) – Bens declarados: R$ 300.000,00

Segundo a TCU, na lista de todo Brasil, é possível verificar também casos em que o patrimônio declarado do candidato supera R$ 1 milhão. Esse casos demonstram potenciais integrantes do rol de inclusões indevidas do benefício, uma vez que os indícios apontam renda incompatível com as regras do programa. Essa lista foi divulgada mediante parcial supressão dos CPFs dos candidatos.

A lista disponibilizada contém o cruzamento de dados realizado pelo TCU e o cruzamento realizado pelo Ministério da Cidadania, com dados que permitem identificar:

1) benefícios que foram cancelados antes da decisão do Tribunal;

2) benefícios que permaneceram com pagamentos em setembro e outubro, seja no âmbito do auxílio emergencial originalmente estabelecido pela Lei 13.982/2020, seja no âmbito do auxílio emergencial residual previsto na Medida Provisória 1.000/2020.

Dessa forma, a planilha permite identificar o tipo de auxílio (emergencial ou residual) e o momento do bloqueio (se antes ou depois da decisão do TCU).

Importante destacar que o Ministério da Cidadania deliberou pelo cancelamento de todos os benefícios detectados pelo TCU, sem prejuízo da possibilidade dos beneficiários contestarem nos canais adequados. A única exceção se refere a benefício concedido judicialmente.

Alertas importantes:

  • Os resultados são apenas indícios de renda incompatível com o auxílio
  • Há risco de erro de preenchimento pelo candidato
  • Há risco de fraudes estruturadas com dados de terceiros
  • Só o Ministério da Cidadania pode confirmar se o pagamento é indevido
  • Só o TSE pode confirmar eventuais crimes eleitorais
  • O papel do TCU é garantir o bom uso do dinheiro público
  • Os dados dos candidatos são públicos e estão disponíveis no site do TSE
  • Os dados dos beneficiários do auxílio são públicos e estão no Portal da Transparência
  

Comentários