Paulistano Paulo Tebar conquista cinturão Super Leve no Arte do Boxe em Mogi Mirim

O título Super Leve do Conselho Nacional de Boxe (CNB) é do paulistano Paulo “Sniper” Tebar, atleta Cruel Fight. O cinturão foi conquistado na noite deste sábado (19), em uma luta muito disputada, mostrando um boxe de alto nível técnico, diante de Daniel Lima, o “Sem Massagem”, por decisão majoritária dos juízes. O combate integrou a programação da terceira edição do Arte do Boxe, no Clube Mogiano, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo.

Tebar subiu ao ringue, em busca do título vago do Super Leve, com um cartel invicto de três lutas. E manteve a invencibilidade, após 10 rounds, somando mais uma vitória a sua carreira e comemorando muito a conquista. O atleta Cruel Fight dominou o início do combate, mas viu Daniel crescer na metade do confronto. Até que Tebar voltou a comandar a luta e conseguiu superar o adversário pela decisão majoritária (dois juízes deram vitória para Tebar e um deles apontou empate), passando a acumular quatro lutas e quatro vitórias.

Já Erick Resedá, atleta Cruel Fight, de São José dos Campos (SP), que vem buscando mais experiência no boxe amador, foi derrotado por decisão dos juízes após uma luta bem disputada diante de Wesley Ferreira, em 3 rounds, pelo Card Amador.

Cruel e Moledas em fevereiro de 2020 – Durante a pesagem oficial do Arte do Boxe, o santista Felipe Moledas firmou oficialmente o compromisso para o combate com o paulistano Fernando Cruel em fevereiro de 2020, em data e local a serem definidos. A luta entre Cruel – sócio da promotora Cruel Fight – e Moledas, inicialmente programada para a terceira edição do Arte do Boxe, foi adiada em função de um laudo médico do santista – aceito pelo Conselho Nacional de Boxe (CNB) -, que mostra que está com quatro hérnias de disco.

O combate colocará em disputa, na nova data, dois títulos internacionais: Continental das Américas (ABF – American Boxing Federation) e Sul-Americano (WBC – World Boxing Council), vagos na categoria Peso Meio Médio até 66kg. Fernando Cruel estará, também, defendendo o título brasileiro do Conselho Nacional de Boxe (CNB), em que é campeão desde 2017.

A terceira edição do Arte do Boxe foi realizada pela academia Arte da Luta, Mike Promotions, Clube Mogiano e supervisão do CNB, com patrocínio da Syngre Betclub. A programação teve um total de 12 combates. Acompanharam os confrontos os campeões mundiais Éder Jofre e Miguel de Oliveira.

 


Comentários