Poker cresce em Campinas e movimenta cidades do interior paulista

Torneios na cidade chegam a reunir centenas de jogadores. Foto: Divulgação/H2 Club

Embora os grandes torneios de poker do país estejam concentrados em grandes cidades como São Paulo (como é o caso do Campeonato Brasileiro de Poker de Equipes (CBPH), Rio de Janeiro (que já recebeu o MILLIONS South America), Curitiba e Porto Alegre, os praticantes do esporte da mente não se concentram apenas nas capitais.

Cada vez mais, o interior ganha praticantes em um esporte que já movimenta mais de 8 milhões de pessoas no país, e algumas cidades despontam como polos do poker. Um dos grandes exemplos é Campinas, que é o município que mais movimenta o jogo de cartas mais popular do mundo no interior paulista.

A cidade é considerada uma das pioneiras no esporte no estado de São Paulo, tendo sido palco do respeitado campeonato estadual Circuito Paulista de Hold’em (CPH), futuramente renomeado para Campeonato Paulista de Poker. Na época, em 2004, o torneio contou com apenas 25 jogadores, mas aos poucos foi movimentando cidades como Sorocaba, Araraquara, Indaiatuba, Americana e até regiões da Grande São Paulo como Santo André, São Caetano de Sul e a própria capital. Hoje, no entanto, o circuito atrai centenas e até milhares de jogadores.

Campinas sempre foi referência em clubes de poker, que existem na cidade até hoje, como o H2 Club, que adquiriu o antigo Mandala Texas Hold’em Club, palco do primeiro Circuito Paulista de Hold’em, há 16 anos.

Torneios

Para jogadores que vão além do entretenimento, levam o poker de maneira profissional e têm em seu planejamento de metas disputar campeonatos presenciais, há clubes na cidade que oferecem disputas ao vivo praticamente todos os dias.

Dentre os torneios, o principal deles é o Interior Poker Fest (IPF), que tem sua segunda etapa de 2020 realizada no mês de março na cidade, no H2 Club. Considerado o maior campeonato de poker do interior de São Paulo, o IPF reúne jogadores de toda o estado, muito por conta de uma característica única: o buy-in (ou seja, o valor de entrada) gratuito até o fim do primeiro nível de blinds do Main Event.

Com uma premiação garantida de R$ 30 mil, o Interior Poker Fest movimenta não só Campinas, mas todas as cidades da região metropolitana, como Americana, Jaguariúna, Indaiatuba, Sumaré e Hortolândia, além da própria capital e cidades do entorno.

No momento, o ranking é liderado por Talles Augusto de Almeida, com 1000 pontos, seguido por Antônio José Bassani e Andrew Kustor, ambos com 850.

Poker também é para as mulheres

Mulheres também se destacam no poker campineiro. Foto: Divulgação/H2 Club

O torneio também movimenta o público feminino com competição exclusiva para mulheres, o IPF Ladies, o que é fundamental também para a inclusão feminina no esporte da mente e já é tradição em grandes torneios do Brasil e do Mundo, como o MILLIONS, World Poker Tour e World Series of Poker. A segunda etapa teve como vencedora a jogadora Andrea Sorge, seguida por Dani Braga e Gabrielle Paixão.

Além disso, o ranking geral do IPF também conta com uma representante do público feminino: Maria Josefa Rodrigues Perez é a oitava colocada, somando 600 pontos.

Não importa que seja homem ou mulher, o fato é que Campinas é, sem dúvida, um hub da prática de poker no estado e, por que não, em todo o país. Afinal, são milhares de jogadores espalhados em uma população de pouco mais de 1 milhão de habitantes.

  

Comentários