PROCON de Mogi Guaçu passa a funcionar junto ao Poupatempo a partir do dia 19 de julho

O posto de atendimento do PROCON de Mogi Guaçu passa a funcionar a partir da próxima segunda-feira, dia 19 de julho, na unidade local do Poupatempo, instalada no Boulevard Shopping, na Avenida Mogi Mirim, 210.

Com a mudança, o horário de atendimento presencial, das 9h às 16h às segundas, quartas e sextas-feiras e das 9h às 13h às terças e quintas-feiras, estará suspenso durante os dias 15 e 16 de julho. O telefone de contato também será substituído, em caráter temporário, pelo (19) 3841-9444.

De acordo com a coordenadora do posto, Noéle Kievitsbosch, o objetivo da transferência é ampliar a capacidade de atendimento com mais acessibilidade, adequação e conforto. A demanda, segundo ela, deverá aumentar de 20% a 30% no novo endereço.

Segundo ela, o acolhimento em novo espaço respeitará todas as normas de prevenção à Covid-19. Serão disponibilizados álcool em gel na entrada e frascos em cada mesa de assistência, além de um dispositivo de proteção de acrílico para evitar contato direto entre funcionários e o público.

Serviços

O PROCON atende todos os assuntos que envolvem a relação entre consumidor e fornecedor na compra de produtos ou serviços, dentre os quais estão os de telefonia, TV, internet, agências/pacotes de turismo, despachantes, funerários, mecânicos, imobiliários, problemas com imóveis locados, débitos referentes a energia e água em nome do locatário após a entrega das chaves, entre outros, sendo discutidos da forma de oferta do serviço a eventuais vícios em sua execução e garantias.

Atende ainda assuntos financeiros e dúvidas referentes a cobranças, baixas de pagamentos e, em alguns casos específicos, trata da negociação de débitos.

“Quanto aos produtos, discutimos os problemas relacionados à recusa de entrega, cumprimento da oferta, recusa em fornecer atendimento em garantia e o cancelamento de compra seguindo a legislação”, explica a coordenadora.

Como o órgão atende a relação de consumo, é necessário que se leve, além dos documentos pessoais – RG, CPF e Comprovante de Endereço –, os documentos relacionados com a demanda do consumidor como, por exemplo, Nota Fiscal, troca de e-mails e protocolos. “Quanto maior a documentação, melhor para o PROCON no prosseguimento da queixa do consumidor contra a empresa”, conta Noéle. Ela reforça, todavia, que o PROCON não atende problemas referentes a indenizações e danos morais por serem questões judiciais. E nada referente a impostos e taxas.

  

Comentários