Queimadas agravam doenças respiratórias – Especialista orienta cuidados

Nesta época do ano, aumenta muito a ocorrência de queimadas e incêndios florestais sobretudo por fatores climáticos (ventos e calor) e pelo uso indiscriminado do fogo. Nos últimos dias, tivemos focos de Incêndio na Serra da Paulista, em São João da Boa Vista, e um incêndio de grandes proporções no Parque Estadual da cidade vizinha de Águas da Prata, que está trazendo enorme preocupação, pois além dos prejuízos sem precedentes à fauna e flora, compromete a qualidade do ar e, consequentemente, a saúde dos moradores.

Segundo Renata Cristiane Gennari Bianchi, professora do curso de Fisioterapia da UNIFAE, os mais afetados são as crianças, os idosos e aqueles que possuem pneumopatias: “Pessoas com bronquite crônica, enfisema pulmonar, asma e rinite, assim como os cardiopatas, tendem a sofrer mais com as queimadas. Os quadros alérgicos também ficam exacerbados com a exposição à fumaça. Além das pessoas com doenças pré-existentes, toda a população que mora perto das regiões de queimadas, os agricultores e os bombeiros também são afetados. Quanto mais próximo o contato com a fuligem, maior é o risco. Por esta razão, alguns cuidados são muito importantes, já que não há como se prevenir contra as queimadas”, alerta Renata.

Dicas para amenizar os problemas decorrentes das queimadas e do clima seco

* Evite a proximidade com incêndios

* Mantenha uma boa hidratação (tome bastante água, sucos, isotônicos)

* Mantenha os ambientes da casa e do trabalho fechados, mas umidificados, com o uso de vaporizadores, bacias com água e toalhas molhadas.

* Proteja ainda com mais cuidado crianças menores de 5 anos e idosos acima de 65, mais propensos a problemas respiratórios

* Fique atento aos sintomas de tosse seca, sensação de irritação na garganta, falta de ar, dor de cabeça, cansaço, rouquidão e vermelhidão nos olhos. Procure ajuda médica se os sintomas de agravarem. Casos mais graves de intoxicação podem levar à morte.

Equipe ASCOM – Assessoria de Comunicação UNIFAE
Tel. (19) 3638-0240 R. 233

  

Comentários