Sul Vale dá início às obras de travessia da nova adutora sob a linha férrea

A Sul Vale Construtora de Obras, com sede em Curitiba/PR, iniciou nesta terça-feira (28), as obras de construção da travessia da nova adutora de água bruta sob a linha férrea, na região do Residencial do Bosque, próximo à ETA (Estação de Tratamento de Água). A empresa foi a vencedora do processo de licitação aberto pelo SAAE de Mogi Mirim, com uma proposta de R$ 358.601,40. O valor será custeado com recursos procedentes de financiamento com a Caixa Econômica Federal, mais contrapartida.

Pelo contrato firmado com a autarquia, a Sul Vale ficou responsável pelo fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra para a execução da travessia. A obra será subterrânea. Para isso, a empresa utilizará método não destrutivo denominado Perfuração Direcional, uma exigência da concessionária que administra a ferrovia Centro Atlântica.

O objetivo da obra é viabilizar um trecho da nova adutora de água bruta para abastecer a ETA. Serão 78 metros lineares de construção, na altura do Km 324, fazendo a ligação dos trechos adjacentes já construídos. O serviço está previsto para ser com concluído em cerca de 20 dias.

Na execução do método não destrutivo, será instalado um trecho de tubo camisa de 800 milímetros de diâmetro a partir da extremidade oposta onde foi iniciada a execução do furo piloto. Em seguida, será instalada, por dentro do tubo camisa, uma tubulação em PEAD, com 500 milímetros de diâmetro.

Entre sexta (24) e segunda-feira (27), a Sul Vale providenciou a entrega dos tubos camisa e das tubulações que formarão o trecho de adutora de água bruta, bem como do equipamento que fará a perfuração sob a linha férrea. Nesta terça-feira, a obra iniciou com uma extensa escavação do lado oposto do início da perfuração.

É que neste local será implantado o poço de visita de saída. Como há um elevado desnível do terreno em relação a ferrovia, ou seja, a área fica bem acima tanto de onde será iniciada a perfuração, quanto da linha férrea, o PV terá oito metros de profundidade e diâmetro mínimo de dois metros. Será deste poço de visita que sairá uma tubulação que, ao final da obra, será interligada ao trecho de adutora já instalada.

Na sequência, está prevista a execução do furo piloto no trecho por onde a adutora passará. Num primeiro momento, o procedimento será feito com uma dimensão bem menor que os 800 milímetros do tubo camisa. Durante a execução do pré-furo, o espaço escavado deverá ser preenchido com material provisório que garanta a estabilidade do furo e que possibilite a lubrificação da lança do equipamento. A partir daí, serão utilizados alargadores até atingir o diâmetro projetado.

Tendo sido instalado o tubo camisa, deverá ser colocada, por dentro deste, a adutora em PEAD, por meio de tubulações soldadas por termofusão em suas juntas. Concluída a instalação da adutora, serão construídos os poços de visita, tanto de entrada, quanto na saída.

E por fim, será feita as interligações da travessia da rede adutora nas redes já instaladas, a montante e a jusante da linha férrea. Esse serviço é de responsabilidade do SAAE. Vale reforçar que este é o ultimo trecho da nova adutora, que aumentará a capacidade de adução de água bruta para tratamento e somente entrará em operação com o fim das obras de ampliação da ETA.

  

Comentários