Vereadores criticam postura da oposição durante sessões

As críticas sistemáticas de vereadores da oposição à administração pública durante as sessões da Câmara gerou reações em tribuna de um grupo de vereadores durante sessão realizada no último dia 20. Em tom de desabafo, Lucas Simioni (PP) lamentou os constantes ataques promovidos pelos vereadores da oposição: “Estou cansado desse teatro que é feito em tribuna, cansado de proposituras que atacam pessoas, cansado de pessoas que sobem em tribuna para difamar ou caluniar”.

Lucas classificou o clima das sessões como “pesado” e revelou tristeza pela forma como os trabalhos têm se desenrolado: “Vejo que esta Câmara poderia estar rendendo muito mais do que está rendendo, poderíamos estar tratando de assuntos muito mais relevantes do que estamos tratando e isso eu falo com tristeza. A Casa Legislativa tem uma importância tão grande na nossa democracia que tem que ser usada de uma forma melhor”, apontou o vereador.

Campanha antecipada

A posição de Lucas foi compartilhada pelo vereador Mario Sitta: “É lamentável o desserviço que vem sendo prestado por alguns vereadores desde o inicio deste mandato, vereadores que sobem a cada sessão nessa tribuna para ofender, dirigir criticas pessoais e reduzir o trabalho Legislativo a perseguições, à picuinha, à campanha antecipada de uma eleição que só chegará daqui a três anos”.

O vereador voltou a criticar os votos contrários ao projeto de Lei que, seguindo legislação federal, alterou o recolhimento de ISSQN no município: “Aqueles que se dizem do povo mas que se dedicam apenas a seus projetos políticos e pessoais de vingança estiveram nesta mesma tribuna à duas semanas para votar contra um projeto importante para a cidade, que trará em torno de meio milhão para Holambra, e que ajudará a melhorar os serviços que eles tanto gostam de criticar nesta tribuna”. O vereador lembrou ainda que o projeto ficou disponível para consulta durante 30 dias e foi tema de audiência pública.

Tentativas rasteiras

Sitta lembrou que diversas pessoas foram alvo do que chamou de “tentativas rasteiras de exposição negativa”, como o prefeito Dr. Fernando, o vereador Lucas e ele próprio. “Agora, uma vez mais, acompanhamos tentativa vergonhosa de intimidação e constrangimento à vereadora presidente desta Casa, sra. Naiara. Enquanto cidadão e vereador, não serei conivente com esse tipo de atitude”, concluiu Sitta.

Durante a sessão foi votado requerimento de autoria de Aparecido Lopes(Cido Urso-PTB), Eduardo da Silva(Pernambuco-PSD) e Mauro Sérgio(Serjão-SD) solicitando informações ao Executivo sobre as atividades prestadas ao município pela vereadora Naiara Hendrikx como nutricionista. Os autores da propositura e a vereadora Jacinta Heijden (PSDB) votaram a favor enquanto Mario Sitta, Lucas Simioni, Edison Picão(Edison da Farmácia-PV) e Jesus de Souza(Jesus da Farmácia-PSD) foram contrários. Como parte interessada, a presidente Naiara Hendrikx (PMDB) declarou-se impedida de votar, impossibilitando o desempate. Desta forma, a propositura se viu prejudicada por falta de quórum e foi arquivada, seguindo orientação jurídica, já que tal situação não é prevista no regimento interno da Câmara.

“Sigo trabalhando regularmente enquanto servidora pública profissional de nutrição e enquanto vereadora dessa Câmara Municipal, e quanto a isso estou muito tranquila”, afirmou Naiara. A vereadora também se mostrou decepcionada com a postura da oposição durante as sessões: “Lamentavelmente o que temos acompanhado nesta Casa são ataques cada vez mais rotineiros e de cunho pessoal, que nada buscam além de promover constrangimento, levantar suspeitas vazias e infundadas, e denegrir a imagem das pessoas. Esta é uma Câmara em plena campanha eleitoral para alguns que estão aqui. Campanha antecipada, descabida e fora de hora”.

Maior participação

A presidente da Câmara cobrou ainda uma participação efetiva dos vereadores de oposição nos importantes trabalhos em andamento no Legislativo: “Triste perceber que esse engajamento, essa vontade, não é vista nas reuniões da Câmara Jovem, nas reuniões para discussão da Lei Orgânica, do regimento interno e do orçamento tão importantes para a cidade e onde muitos dos senhores sequer se fazem presentes”.

E finalizou seu pronunciamento com um apelo: “Estamos chegando ao final do primeiro ano deste mandato, teremos ainda três outros anos pela frente. Sugiro aos nobres colegas que façam desses anos, anos de trabalho. Anos em que Holambra estejam em primeiro lugar e não revanchismo político barato. Anos que façam a diferença e que mostre para os moradores que a Câmara é uma instituição séria, e que pode ser propositiva e transformadora”.

A próxima sessão da Câmara está marcada para o dia 4 de dezembro, a partir das 19 horas, na sede do Legislativo.

Fonte: ASCOM

  

Comentários