Walter Caveanha vence eleição com 64,34% dos votos

O prefeito Walter Caveanha (PTB) conseguiu uma reeleição inédita com 45.363 mil votos, (64,34% dos votos válidos). O empresário Marcos Antonio (PSD) teve 14.937 mil votos (21,18%) e Alexandro de Araújo, o Alex Tailândia (PRB) ficou em terceiro lugar com 10.210 votos (14,48%). André Luiz de Oliveira, o Professor André (PSOL) teve os votos zerados por ter tido o registro de candidatura indeferido com recurso. No entanto, no aplicativo “Resultados” do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o número de votos do Professor André consta na aba nulos ou anulados, ele recebeu 1.665 votos (2,36%).

Em entrevista coletiva concedida à imprensa Caveanha fez questão de agradecer o vice Daniel Rossi (PR) e o ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (PMDB), ambos presentes. “Dizer da minha alegria de poder estar aqui hoje comemorando ao lado de todo o povo de Mogi Guaçu o trabalho de quatro anos. O que nós estamos comemorando aqui hoje, sem dúvida nenhuma, é o trabalho de uma equipe toda”. E citou os servidores municipais, secretários, colaboradores, entre outros. “Porque houve um trabalho sério durante quatro anos que resultou na confiança e na credibilidade do povo de Mogi Guaçu. Que nós conseguimos com isso esse resultado extraordinário onde até o momento já ultrapassa 64% do eleitorado de Mogi Guaçu”.

“Uma votação dessa que nós acabamos de receber por parte da população é a população colocando para nós uma responsabilidade ainda maior. De continuar a governar Mogi Guaçu para os próximos quatro anos e conseguirmos fazer com que a nossa cidade avance mais.” Ele fez questão de frisar que durante a atual gestão foi paga uma dívida de R$40 milhões dos R$127 milhões herdados da administração anterior e já foi renegociado R$69 milhões. “Ainda faltam R$28 milhões destes R$127 milhões e ainda temos que continuar pagando”.

Caveanha falou que sua campanha foi limpa e baseada em propostas para os próximos quatro anos. Na avaliação de Caveanha, a votação maciça da população fortalece as reivindicações que ele fará junto aos governos do Estado e Federal. “É uma força política para reivindicar mais junto ao governo do Estado e ao governo da União. Mais obras, mais serviços, mais recursos para infraestrutura na cidade”.

Sobre a marca que ele pretende deixar neste quinto mandato, Caveanha deixou claro que a união entre ele, o ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (PMDB) e o vereador Daniel Rossi é um fato “extraordinário”. “Se vocês olharem bem o que aconteceu na história nesses últimos 40 anos. Isso que aconteceu é uma fato histórico extraordinário”.

O orçamento
Questionado sobre orçamento de 2017, que será ligeiramente maior do que deste ano, e que, por essa razão, pode limitar os investimentos, ele lembrou que essa situação se repetiu de 2015 para 2016. “O que nós temos que fazer com esse orçamento? É administrar o custeio da máquina. É por isso que eu digo que o prefeito sozinho não faz nada”. A chave é economizar em todas as secretarias as despesas de custeio, como telefone, água, energia, como já está ocorrendo.

Habitação

Com relação à construção de moradia popular que tem sido a marca de suas administrações, ele disse que vai buscar ajuda dos deputados e todos os que apoiaram sua candidatura. E contou que fez uma solicitação junto ao deputado federal Nelson Marquezelli (PTB) com relação aos programas habitacionais.

  

Comentários