Atleta possense recebe faixa preta de Jiu-Jitsu

Na noite de quarta-feira, dia 25 de outubro, o atleta e professor possense Wilker Paulino de Oliveira, de 40 anos, em seminário realizado pela equipe Cícero Costha na cidade de Pedreira, recebeu a faixa preta de Jiu-jitsu. Com a conquista, Wilker passa a ser o único atleta morador da cidade de Santo Antônio Posse a chegar a essa graduação.

A cerimônia realizada por seu professor Emerson Godoy, contou com a participação de alunos e atletas, e em especial com a presença de Cícero Costha, conhecido mundialmente na prática do Jiu-jitsu como um dos principais nomes do esporte.

Como conta Wilker, o recebimento da faixa foi uma surpresa, pois não imaginava recebe-la naquele momento, além de que, todos os presentes já sabiam da graduação, inclusive sua esposa e alunos. “Somente eu não estava sabendo, no seminário estava tudo normal e no final fui surpreendido pelo mestre Cícero Costha e meu professor Emerson Godoy, fazendo um discurso agradecendo sobre minha conduta e me chamando a frente para me graduar faixa preta de Jiu-jitsu da Equipe Cícero Costha”, comenta.

Ressaltando a emoção do momento, o atleta disse que ficou sem reação após o anúncio e frisou, “foi como se meu professor tivesse me dado uma granada a ponto de explodir”. Wilker ainda ressaltou o quão especial foram todas as graduações, mas destacou a importância da nova conquista. “Chegar a faixa preta demanda muito esforço, muita dedicação, treinamento e disciplina. Essa graduação teve um gosto mais que especial, pois o mínimo de treino para chegar a faixa preta são 10 anos”, frisou.

As graduações no Jiu-jitsu são adotadas de acordo com os critérios de cada equipe, mas tendo como princípio padrão, a classificação da Confederação Brasileira de Jiu-jitsu. Como ressalta Wilker, os critérios nos quais ele seleciona seus alunos é relacionada com a presença do aluno, tempo de treino e alguns exames de avaliação.

Contando sua experiência própria até a chegada a recente graduação, o professor comenta que passou por alguns exames na vida de Jiu-jitsu e muitos anos de treino. Para a faixa preta, a avaliação partiu diretamente dos treinos com seu Professor Emerson Godoy.  “Os treinos eram uma espécie de avaliação. Achei muito bacana, sofri bastante, chegamos a realizar treinos de 40 minutos”.

Agora faixa preta em Jiu-jitsu, o possense segue os treinos em Pedreira e começa em São Paulo no bairro Ipiranga, na academia de Cícero Costha.

História

Wilker iniciou a prática do Jiu-jitsu de forma tardia em 2000, quando ainda residia na cidade de Campinas. “Eu gostaria de ter começado bem mais cedo a treinar, mas nunca é tarde, vejo as crianças iniciando hoje e sinto um orgulho muito grande, principalmente quando os pais dão incentivo”, comenta.

Após sofrer uma lesão enquanto praticava futebol, o professor teve de ser afastado do esporte por 5 anos. Durante esse período, chegou a pensar em desistir, mas ao se mudar para a cidade de Posse em 2008, sentiu-se entusiasmado em voltar a treinar.

Durante sua trajetória, Wilker praticou outras modalidades esportivas como boxe, muay thai, judô e curso de defesa pessoal.

Em 2012, o professor ministrou aulas de Jiu-jitsu em Jaguariúna, em um projeto social local e desde o ano passado, Wilker vem ministrando em Santo Antônio de Posse, o que segundo ele, trouxe novos amigos e conquistas. “Depois que assumi as aulas na academia Athletica, foram muitas alegrias, pois foi aqui que conheci e fiz muitos amigos, esses alunos amigos já me trouxeram muitos títulos de campeonatos. Agora é só crescer com eles e buscar novas conquistas, como foi esse ano de 2017, pois a cidade é pequena e temos poucos competidores, mas mesmo assim, tivemos mais de 95% de aproveitamento nos campeonatos em que participamos”.

Projetos

Comentando sobre seus objetivos, Wilker comenta que tem como foco implementar futuramente o projeto social “Lutando Pelo Bem” na cidade de Santo Antônio de Posse, projeto esse como conta, “sem custos para crianças carentes que queiram competir, da mesma forma que o Cícero Costha possui em todo o Brasil e o professor Emerson Godoy iniciou na cidade de Pedreira já a alguns anos, onde já formou diversos campeões. Tenho o objetivo de levá-los para campeonatos mundiais para fora do pais, como já existem vários campeões mundiais da Equipe Cicero Costha”.

O “Lutando Pelo Bem”, é um projeto social que oferece a jovens carentes uma oportunidade de se tornarem cidadãos com perspectiva de futuro, promovendo a integração desses jovens através da prática do Jiu-jitsu, ensinando os fundamentos da modalidade e estimulando o crescimento pessoal desses jovens por meio do esporte, formando atletas que possam representar o país com orgulho e êxito nas competições pelo mundo afora.

Futuro

Refletindo quanto ao seu futuro no Jiu-jitsu, Wilker ressalta a energia encontrada em seus alunos, o que o motiva a continuar no esporte. “A motivação maior que o Jiu-jitsu me traz hoje em dia além de ser um esporte que admiro muito, é o entusiasmo dos meus alunos, pois tenho 40 anos e estou passando meus conhecimentos para eles. Os meus alunos fazem parte da minha vida e com eles eu busco ser uma pessoa melhor”, comentou.

Desde 2014 sem participar como atleta de competições, Wilker comenta que pretende voltar a competir futuramente, mas seu objetivo maior é a formação de seus alunos. “No próximo ano eles participarão dos grandes campeonatos e tenho que dedicar tempo a eles, isso no momento é o que mais importa para mim”, finaliza.

Matéria: ASCOM

  

Comentários