fbpx

Audiência discute valor da tarifa do transporte coletivo

Na noite desta terça-feira, dia 12 de setembro, a Prefeitura de Mogi Guaçu promoveu audiência pública no plenário da Câmara Municipal, para debater o reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano. Participaram da reunião vereadores e munícipes, que tiveram a oportunidade de discutir formas de melhorar o serviço prestado atualmente pela Viação Santa Cruz.

O secretário de Obras e Viação de Mogi Guaçu, Salvador Franceli Neto, conduziu a audiência, que cumpriu o parágrafo único do artigo 48 da Lei de Responsabilidade Fiscal. O contrato de concessão do transporte coletivo é revisado anualmente, com base em planilhas repassadas pela empresa concessionária à Comutran (Conselho Municipal de Trânsito), que faz uma última checagem antes de remeter o caso para a sanção do prefeito.

A Viação Santa Cruz havia sugerido reajuste de R$ 5,91 para a tarifa do transporte. Atualmente, o preço está em R$ 3,80. Levando-se em conta a inflação do período, a Comutran chegou ao valor de R$ 4,20 para quem paga diretamente na catraca e R$ 4,00 nos créditos obtidos pelos usuários do cartão. Estes números foram apresentados por Franceli durante a audiência.

Isso não quer dizer que estes valores estão oficialmente definidos, porque caberá ao prefeito Walter Caveanha concordar ou não com a fixação da nova tarifa. “O prefeito está revendo com toda a sua equipe estes valores e deve opinar. O que ficou claro é que tentaremos deixar o valor mais baixo para impactar o mínimo possível no bolso do cidadão”, explicou Franceli.

Durante a audiência, o secretário reforçou que a tarifa não pode ter o preço congelado, em obediência ao contrato em vigor. Mas, revelou que uma nova licitação poderá ser aberta ainda neste ano para a contratação de uma empresa para prestar o serviço do transporte coletivo urbano.

Franceli também revelou que o que tem elevado o custo do transporte coletivo é a gratuidade, que hoje abrange cerca de 40% dos usuários do transporte. Têm acesso à gratuidade, entre outros casos, pensionistas, sem limite de idade. Uma nova proposta será levada à licitação para não prejudicar quem hoje paga pela passagem.

O secretário também recebeu sugestões para ampliar a participação da comunidade na Comutran. Tanto que ele reconheceu que as reuniões devem ser feitas no plenário da Câmara, abertas a quem tiver interesse. A proposta de majoração do valor da tarifa do transporte coletivo foi remetida ao prefeito, que deverá anunciar em breve o percentual a ser fixado.

Matéria: ASCOM

  

Comentários