Bolsonaro fala em nova onda de covid, “Você está vendo muita Globo”

“Agora, boa notícia aí: está vindo uma outra onda aí de covid, lamentável”, ironizou o presidente. Em seguida, um apoiador reforçou ser preciso impedir voos da Europa, justificando que o continente tem sido foco de novos casos da doença. Bolsonaro rebateu: “Você está vendo muita Globo”

Foto: (crédito: EVARISTO SA)

 

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta sexta-feira (26/11) sobre a possibilidade de uma quarta onda de covid-19 no país. Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, antes de uma agenda em São Paulo, o chefe do Executivo, no entanto, descartou o fechamento de aeroportos.

“Você não vai vedar, rapaz. Não vai… Mas pera aí, que loucura é essa? Quer dizer, fechou aeroporto e o vírus não entra? Ah, pelo amor… Já tá aqui dentro, pô. Não existe isso”, apontou.

“Agora, boa notícia aí: está vindo uma outra onda aí de covid, lamentável”, completou. Em seguida, um apoiador reforçou ser preciso impedir voos da Europa, justificando que o continente tem sido foco de novos casos da doença. Bolsonaro rebateu: “Você está vendo muita Globo”

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nota técnica nesta sexta-feira, recomendando medidas restritivas de caráter temporário em relação aos voos e viajantes procedentes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, em decorrência a nova variante do SARS-CoV-2 identificada como B.1.1.529.

Ainda ontem, enquanto comentava sobre o avanço do vírus em países europeus, o presidente mencionou que uma quarta onda de covid-19 pode chegar ao Brasil.

O chefe do Executivo destacou que, caso os casos voltem a subir no país, manterá a posição contrária à adoção de medidas restritivas e lockdown. “Outra onda, sim, está vindo. Não sei se outra cepa de vírus ou se acabou validade da vacina, e os problemas estão aí. É uma realidade que temos que enfrentar, não adianta se esconder nem culpar ninguém por essa tragédia que está acontecendo no mundo todo ”.

 

Fonte; Correio Brasiliense
  

Comentários