CONDEPHAAT DE SÃO PAULO VISITA JAGUARIÚNA

O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico é um órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e realizou o Tombamento da Estação Ferroviária de Jaguariúna de 1945, hoje Centro Cultural “ZI Cavalcânti”. Abriu também processo de tombamento da Fazenda Florianópolis que pertenceu ao Cel. Amâncio Bueno, fundador da cidade. Dispõe de um complexo arquitetônico com sede construída por seu pai, Cândido Bueno em 1870 e um casario anterior a esta data. Esta área era circundada por muros de taipa de pilão construídos pelos negros escravos e dentro continha, senzala, tulha, piscina para lavagem do café, terreiros com lajotas quadradas de barro, construções cobertas de telhas moldadas nas coxas dos escravos, além de matas de preservação permanente, nascentes e tanques.

O Departamento do Patrimônio Histórico, através de seu diretor, Thiago Menezes Garcia, protocolou no CONDEPHAAT pedidos de tombamento de alguns patrimônios solicitados por seu proprietário. Pois o tombamento a nível estadual garantirá incentivos fiscais aos mesmos. Por isso hoje se diz tombamento adequado. É aquele que favorecerá o proprietário, garantirá isenção plena de IPTU, possibilidade de participação de convênios a nível federal. Esta contrapartida de incentivos fiscais precisa acontecer para favorecer financeiramente os proprietários.

Enquanto isto o Conselho Municipal gere o processo de isenção de IPTU, e desde tempos passados tem reivindicado à Câmara Municipal que elabora, neste momento o Plano Diretor da cidade: criação de um Fundo Municipal para proteção do imóvel preservado como patrimônio histórico. Com este fundo, caso o proprietário necessite, será possível auxílio nas eventuais adaptações internas; dependendo do grau de preservação. Enfim manutenção geral, pinturas, pois o patrimônio é um monumento público da memória e história da cidade e de seu povo.

E o proprietário fará jus aos incentivos por essa preservação. Outro será a transferência do poder construtivo. Além de desfrutar dos aluguéis advindos ou da venda do mesmo. Em caso de preservação apenas da fachada poderá subir pisos para moradia ou desfrute de renda. E o Centro Histórico ornamentado com calçadões, jardim e bancos, com pleno comércio favorecerá a todos. Comenta-se que o projeto da Administração Municipal será liberar este espaço da poluição visual: postes, fiação, sinalizações, outdoors. Será destacada a arquitetura dos prédios.

Devido aos protocolos registrados em São Paulo, uma equipe técnica do CONDEPHAAT visitou Jaguariúna nos dias 04 e 05 deste maio de 22. Equipe formada por historiadora, arquitetas, engenheira civil que foram acompanhadas pelo Diretor do Patrimônio Histórico, Thiago. Após conhecer o Centro Histórico conheceram a Casa da Memória. Examinaram o mapa de fundação da Vila Bueno. O coordenador fez explanação sobre a história da cidade. Teceu considerações sobre o Cadastro Municipal do Patrimônio Histórico, mostrando as fotografias no mapa das construções e sobre os construtores: Capela /Santa Maria do Jaguary, sedes das fazendas de café, imóveis que representam a imigração italiana e sírio-libanesa.

Assim como discorreu sobre o trabalho realizado pelo CONPHAAJ. Elas receberam, neste local, a visita do presidente do conselho, Sr. João Rodrigues dos Santos e de seu vice-presidente, arquiteto da FAJ, Prof. Paulo Fraga. O coordenador acompanhou a equipe de especialistas em visita à Pousada Vila Bueno onde o Sr. Felipe N. Moraes Ziggiatti explicou o processo de restauro do casarão do Cel. A. Bueno onde sua 2ª família morou. O prédio abrigou antes o Colégio Rosa, internato religioso que fugiu da febre amarela de Campinas.

Na fazenda Santa Úrsula a equipe foi recebida pela historiadora Abigail N. Moraes Ziggiatti que mostrou o processo de restauro que realizou na sede, explanando detalhes históricos da Família do Barão de Ataliba Nogueira. A tudo ouviram e fotografaram. Fotógrafo com “drone” acompanhou a visita.

Tomaz de Aquino Pires

 

  

Comentários