Confraria da Dança estreia Horizonte Submerso no SESC Campinas, espetáculo que une dança, teatro e música

Confraria da Dança de Campinas, que há 26 anos desenvolve atividades relacionadas à pesquisa, criação e produção artística, retorna aos palcos com a estreia de Horizonte Submerso, inspirado no universo criativo do escritor Edgar Allan Poe, do artista plástico Paul Klee e do desenhista, músico e cineasta Dave McKean. As apresentações serão no teatro do SESC Campinas nos dias 11 e 12 de novembro de 2022, sexta às 20h e sábado às 16h. O espetáculo foi concebido inicialmente na versão audiovisual, com uma breve temporada em 2021, e para a estreia presencial os artistas criaram duas novas cenas e adaptaram a obra para o palco e a proximidade com a plateia, em uma mistura de dança, teatro e música.

 

A obra foi criada e é interpretada por Diane Ichimaru, que também assina direção artística, dramaturgia, figurino e criação das máscaras, e divide a cena com os artistas Marcelo Rodrigues, que assina o desenho de luz, e Esio Magalhães, ator e palhaço convidado especialmente para esse projeto. Já a composição e execução da trilha musical é do compositor, arranjador e pianista Rafael dos Santos, parceiro de longa da ta que já assinou trilha de vários espetáculos do grupo. Em Horizonte Submerso Rafael executa a música ao vivo, desta vez em cena junto com os bailarinos da Confraria da Dança.

 

Os artistas referenciados para a criação de Horizonte Submerso aparecem na obra como inspiração para um submundo, um lugar reservado aos sonhos e as lembranças. Por assumir esse caráter, o espetáculo se divide em onze cenas fragmentadas, como quadros que se sobrepõem um ao outro. “Estabelecemos um diálogo entre os três artistas a partir de elementos encontrados em suas obras, como as cabeças bidimensionais sugeridas por McKean, os escritos poéticos do conto Berenice, de Edgar Allan Poe e a obsessiva reflexão sobre instabilidade e equilíbrio no universo em mosaico de Paul Klee”, ressalta Diane Ichimaru.

 

Horizonte Submerso explora a face oculta da natureza humana, os segredos esquecidos nos fundos das gavetas, os espaços angulosos recortados por luz e sombra. Os criadores-intérpretes adentram aos devaneios e distorções guiados pela pluralidade das obras inspiradoras e pelas possibilidades de intertextualidade entre as mesmas.

As cenas propõem reflexão em torno de questões como o tempo, a finitude, o equilíbrio, a instabilidade e a gravidade. Desse modo, o trabalho aborda problemáticas universais e extremamente atuais, como dilemas existenciais, a aceitação do contrário, a superação do medo e do desconhecido, o enfrentamento da morte e a convivência mútua entre o consciente e o inconsciente.

 

Para Diane e Marcelo, integrantes da Confraria da Dança, as colaborações dos dois artistas convidados (Esio Magalhães e Rafael dos Santos) proporcionam uma expansão da força dramatúrgica e do hibridismo entre movimento, palavra e música, características marcantes do repertório do grupo. Isso também contribuiu para que fosse criado um jogo cênico de equilíbrio que traz elementos autobiográficos dos artistas, sobretudo suas lembranças da infância. “Embebidos em autoironia, confrontamos nossos lados sombrios, sonhos e pesadelos, navegando entre os destroços da memória, avançando para o desconhecido à mercê da fantasia. Compomos nas cenas múltiplas camadas de ressignificação do espaço-tempo, confrontando a objetividade do mundo exterior com o mundo interior e subjetivo que move cada indivíduo”, comenta o criador-intérprete Marcelo Rodrigues.

 

Artistas que inspiraram a obra

Edgar Allan Poe (1809 – 1849) foi um escritor norte-americano conhecido por seus contos sobre mistério, criando um novo gênero e estilo na literatura. Paul Klee (1879 – 1940) foi um artista plástico nascido na Suíça, mas de nacionalidade alemã. Sua obra extrapola os limites dos movimentos artísticos de sua época, dialogando livremente com o expressionismo, cubismo e surrealismo.

 

Dave McKean (1963) é um artista contemporâneo inglês, desenhista de quadrinhos, ilustrador, cineasta e músico. Seu trabalho incorpora desenho, pintura, fotografia, colagem digital e escultura.

 

Sobre a Confraria da Dança

A Confraria da Dança está sediada na cidade de Campinas/SP desde 1996 e acumula 26 anos de atividades relacionadas à pesquisa, criação e produção artística. Honrando o termo “confraria” – conjunto de pessoas que se associam tendo em vista interesses e objetivos comuns – realiza parcerias com artistas das áreas da dança, teatro, música e artes plásticas. Sua atuação artística ocorre, prioritariamente, fora da capital, seus projetos contemplam ações na própria cidade/sede e em outras cidades de pequeno e médio porte do interior do Estado de São Paulo, difundindo a dança através de atividades de formação e fruição artística, traçando um crescimento radial em seu campo de ação junto à comunidade, promovendo acessibilidade comunicacional e atingindo público leigo de todas as idades, estudantes de arte em processo de formação e artistas profissionais.

 

A Confraria da Dança conquistou em seu percurso premiações da APCA, da FUNARTE/ MINC, Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, Cultura Inglesa, SESI SP, Itaú Cultural/Rumos Dança, entre outros.

 

Ficha Técnica do espetáculo

criadores-intérpretes | Diane Ichimaru, Esio Magalhães e Marcelo Rodrigues

composição e execução de trilha musical | Rafael dos Santos

direção artística e dramaturgia | Diane Ichimaru

desenho de luz | Marcelo Rodrigues

operação de luz | Presto Kowask

figurinos, bordados, máscaras, bonecos e adereços | Diane Ichimaru

costuras | Nice Cardoso

fotografia | FBarella

projeto gráfico | Lucas Ichimaru

assistência de produção | Luzia Ainhoren

assessoria de imprensa | Boas Histórias Comunicação

produção e realização | Confraria da Dança

classificação indicativa: Livre

 

SERVIÇO

Horizonte Submerso – estreia presencial

Dias 11 e 12 de novembro de 2022 – sexta às 20h | sábado às 16h30

Teatro do SESC Campinas

Rua Dom José I, 270/333 – Bonfim

Duração: 50 minutos

Classificação indicativa: Livre

Ingresso: Ingressos online https://www.sescsp.org.br/programacao/horizonte-submerso/ ou nas bilheterias do SESC

Preço: Valores: R$ 9,00 Credencial Plena; R$ 15,00 Meia entrada; R$ 30,00 Inteira

  

Comentários