Consórcio PCJ lança Guia sobre o funcionamento do Sistema de Gerenciamento dos Recursos Hídricos para capacitar sociedade quanto à prevenção de eventos extremos

O calorão que está elevando as temperaturas, inclusive com a perspectiva de uma forte onda de calor inédita que fará as temperaturas no Brasil subirem acima dos 40° no próximo fim de semana, não é por acaso. O “La Niña”, fenômeno climático oposto ao “El Niño” que diminui a temperatura do Oceano Pacífico, deve diminuir as chuvas nas regiões Sul e Sudeste, reduzindo as precipitações para abaixo das médias históricas. Menos chuvas vai gerar a necessidade de consumo sustentável da água e maior participação da sociedade no sistema de gerenciamento dos Recursos Hídricos. Pensando nisso, o Consórcio PCJ produziu o Guia de Informações sobre Recursos Hídricos, Saneamento e Meio Ambiente das Bacias PCJ e Conexões com o Sistema Nacional, com o objetivo de capacitar gestores públicos e comunidade em geral sobre o tema.

No documento que já está sendo distribuído para diversos setores da sociedade, é possível encontrar importantes estudos e relatórios sobre a situação dos recursos hídricos nas Bacias PCJ e em âmbito nacional, além de informações detalhadas sobre quem é quem dentro do sistema de gerenciamento. É uma importante ferramenta para desde um leigo em gestão da água até técnicos e gestores possam se orientar sobre tomadas de decisões.

Para o secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz, o Guia elaborado pela entidade busca preparar a comunidade para eventos extremos. “O presente documento busca preparar a comunidade a evitar os malefícios da estiagem e suas prováveis consequências”, atenta.

Lahóz completa que “o Guia apresenta também explicação resumida contendo link de acesso aos sites das diferentes Instituições e suas respectivas atribuições junto ao Sistema de Gerenciamento dos Recursos Hídricos, Saneamento e Meio Ambiente das Bacias PCJ e Brasil. Onde os esclarecimentos para grande parte das suas dúvidas poderão ser encontrados”.

O Guia vem num momento, em que o Consórcio PCJ quer capacitar a sociedade para a possibilidade de um verão com menos chuvas e menos disponibilidade hídrica diante de um cenário de ocorrência de “La Niña”. Segundo o departamento nacional de clima dos Estados Unidos, o National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA, em inglês), o “La Niña”, entrou em atividade no último dia 11 de setembro.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência da Organização das Nações Unidas (ONU), a previsão é de que o La Niña de 2020 dure até novembro e que seja de baixa intensidade. A OMM estima que, mesmo com o fenômeno, este ano deve ser um dos anos mais quentes da história.

No Brasil, o fenômeno acarreta chuvas acima das médias históricas nas regiões Norte e Nordeste, e precipitações abaixo do esperado nas regiões Sul e Sudeste. A preocupação do Consórcio PCJ é que com menos chuvas as Bacias PCJ possam ter dificuldades maiores na estiagem de 2021. Vale a pena lembrar que os anos de 2018 e 2019 também registraram precipitações abaixo do esperado na região, com 20,5% menos chuvas em 2018 e 12,5% menos chuvas em 2019.

As chuvas no mês de setembro em todos os pontos de medição das Bacias PCJ estão bem abaixo da média histórica, na ordem de 73% menores, e o Sistema Cantareira, importante fonte de reserva estratégica para a região, está com 41% de sua reservação de água e em estado de atenção.

Apesar da pouca chuva, os 22 municípios que tem suas captações de água regularizadas pelo Sistema Cantareira, a maioria deles da Região Metropolitana de Campinas (RMC), podem considerar que essas vazões serão garantidas até que as chuvas cheguem. Mas existem outros 44 municípios, das Bacias PCJ, que dependem de captações em cursos de água, reservatórios municipais e poços profundos, que poderão, eventualmente, passar por situação de atenção e monitoramento especial. O Consórcio PCJ, solicita para que esses municípios o mantenham informado através de resposta a questionários entregues pela Entidade, através do e-mail: assessoria.se@agua.org.br.

 

Sobre o Consórcio PCJ:

O Consórcio PCJ, fundado em 1989, é uma associação civil de direito privado, composta por 41 municípios e 24 empresas associados, que atua como uma agência de fomento, planejamento e sensibilização, com o objetivo de recuperar e preservar os mananciais, além de discutir a implementação de políticas públicas voltadas à gestão da água. A entidade é referência nacional e internacional na gestão de recursos hídricos, sendo membro de importantes entidades internacionais, como: O Conselho Munidial da Água, a Rede Internacional de Organismos de Bacias (Riob), a Rede Latino-Americana de Organismos de Bacias (Relob) e a Rede Brasil (Rebob).

  

Comentários