fbpx

Consórcio PCJ quer pacto para enfrentar crise hídrica

Sinceridade. É isso que o Consórcio PCJ busca junto ao Governo Estadual para enfrentar a crise hídrica que continua ameaçando o abastecimento público. Durante reunião do conselho fiscal da entidade, realizada no dia 6 de agosto em Americana, o Secretário Executivo do Consórcio, Francisco Lahóz, convocou a todos para que seja estabelecido um pacto de união em prol da disponibilidade hídrica. “Precisamos de num pacto sério que aclare a realidade de nossa crise, sem criar falsas esperanças, mas distribuindo tarefas entre os órgãos públicos, as instituições privadas, as ONGs e a comunidade, permitindo a construção da sobrevivência atual e sustentabilidade hídrica futura”, disse.

Lahóz ainda pontuou ser necessário obter garantias quanto à construção dos reservatórios em Amparo e Pedreira, além de conhecer a real capacidade do Cantareira em atender a demanda das Bacias PCJ e da Grande São Paulo, para que os municípios possam se preparar para um possível agravamento da atual crise hídrica ou a ocorrência de crises futuras.

Nova Mesa Diretora
Formado por vereadores de 43 municípios que fazem parte das bacias PCJ (bacias formadas pelos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), o conselho fiscal do Consórcio definiu a nova Mesa Diretora para o biênio 2015/2016. O vereador do município de Rio Claro (SP), José Julio Lopes de Abreu, o Julinho, foi reeleito presidente. Rogério Carlos Nascimento, de Piracaia, será o primeiro vice-presidente, e José Aparecido Longatto, de Piracicaba, o segundo vice-presidente.

Representante titular de Holambra no conselho, a vereadora Jacinta Heijden foi escolhida como um dos agentes de interlocução da sub-bacia do rio Camanducaia.

  

Comentários