fbpx

Contrato para recuperação da UPA é assinado em Mogi Guaçu

O prefeito Walter Caveanha assinou nesta segunda-feira, dia 11 de abril, o contrato com a empresa Alpha Vitória para a execução das obras de reforma da UPA “Dr. José Augusto de Carvalho Neto”. Da parte da empresa, vencedora da licitação, o contrato foi assinado por Tiago Gentil Ovídio, sócio proprietário da Alpha Vitória.

O valor do contrato é de R$ 728.964,49, que representa uma economia de aproximadamente R$ 70 mil em relação ao custo estimado para efeito de abertura de licitação, de R$ 799.822,39. O ato de assinatura do contrato foi aberto à imprensa e contou com a presença de secretários municipais, vereadores e moradores de bairros próximos da UPA.

Estavam presentes, o presidente da Câmara Municipal, Carlos Donizete da Costa, e os vereadores Ivens Chiarelli, líder do governo, Thomaz Caveanha, Daniel Rossi, Jeferson Luís da Silva e Luiz Zanco Neto. A Secretaria de Obras e Viação deve expedir a Ordem de Serviço a partir de quarta-feira, estabelecendo o prazo para início das obras.

Antes da assinatura do contrato, Walter Caveanha fez uma explanação do que aconteceu com a UPA e de todo o processo que precedeu a abertura da licitação. O prédio da UPA foi destruído durante temporal em fevereiro de 2014, menos de dois anos depois de inaugurado, em meados de 2012, na gestão passada.

Laudos periciais constataram falhas na construção, especialmente na estrutura metálica da cobertura, que não estava presa às paredes e metade acabou arrancada pela força dos ventos. Além disso, o prédio foi edificado parte em área da Prefeitura e parte em áreas particulares, no Jardim Santa Marta, irregularidade que foi descoberta e resolvida na atual administração.

A regularização foi possível através de um processo de desafetação da porção particular, convertida como área institucional no projeto do loteamento Monte Líbano, em implantação em frente da UPA. As responsabilidades pelos danos estão sendo apuradas através de processo judicial, instituído depois de concluída sindicância aberta pela Prefeitura com a mesma finalidade.

Um dos laudos foi elaborado por perito designado pela Justiça e está sendo contestado pela empreiteira Marcos Santos Engenharia, que construiu o prédio ao custo de cerca de R$ 2 milhões. No decorrer das investigações foi constatado que não existia projeto da estrutura da cobertura e que a planta foi invertida.

A entrada para ambulâncias foi construída no lado oposto ao previsto no projeto original e ampliada de 5,5 metros para 10 metros, mas sem a saída de ar lateral. Foi por ali que o vento arrancou a cobertura. A UPA passou a funcionar nas instalações do PPA (Posto de Pronto Atendimento) do Jardim Novo II, mantendo assim a continuidade do atendimento aos moradores da zona Norte.

Outras obras

 

A construtora Alpha Vitória, sediada em Fernandópolis, está executando outras duas outras obras em Mogi Guaçu. Uma é a reforma da EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) e a outra é a construção de uma creche-escola que será o CEI (Centro de Educação Infantil) do Jardim Ypê Pinheiro.

Os projetos são financiados, sem custo para a Prefeitura, pelo Centro Assistencial Tia Ileide, instituição do Grupo Mahle. Depois de concluída, a creche-escola será doada para o Município e atenderá 188 crianças.

 

 

  

Comentários