fbpx

Dia Nacional de combate à Hanseníase

O último domingo do mês de janeiro (25) é considerado pelo Ministério da Saúde o Dia Nacional de Combate à Hanseníase. A Hanseníase, conhecida por esse nome desde 1976, é uma das doenças mais antigas na história da medicina. Antes era conhecida como lepra. Causada pelo bacilo de Hansen: o Mycobacterium leprae. Esse parasita ataca a pele e nervos periféricos, mas pode afetar também outros órgãos como o fígado, os testículos e os olhos. Não é, portando, hereditária.

O Brasil teve 24.612 novos casos de hanseníase em 2014, segundo o Ministério da Saúde. Segundo ainda o governo federal, a hanseníase é uma doença endêmica no país e em decréscimo desde 2003. Em 2013, foram detectados 34.044 novos casos. A porcentagem de cura nos dois últimos anos foi de 83,4% e 84%, respectivamente. Apesar da melhora, o Brasil é o segundo país com mais casos de hanseníase, atrás somente da Índia.

Em Conchal, ocorreu apenas 1 novo caso de hanseníase no ano passado.

O governo lançou uma nova campanha publicitária contra a doença este ano, com o lema: “Hanseníase. Quanto antes você descobrir, mais cedo vai se curar”, que consiste em peças eletrônicas para a televisão e o rádio, além de peças gráficas, como cartazes, para serem distribuídos para agentes de saúde, profissionais de saúde e líderes comunitários.

As Unidades de Saúde de Conchal, bem como o Cemec estão engajados nessa campanha que visa informar, conscientizar sobre a doença e descobri-la precocemente.

A hanseníase é uma doença transmissível que afeta principalmente a pele e os nervos periféricos. Os primeiros sintomas, em geral, só aparecem de dois a sete anos após a infecção da pessoa pela bactéria Mycobacterium leprae.

TRANSMISSÃO
A transmissão se dá por meio de espirros e tosses, por exemplo, de uma pessoa doente e sem tratamento. O contágio não é possível através de abraços e apertos de mão. Também não é necessário separar roupas, pratos, talheres e copos do infectado em casa. O tratamento é gratuito e inclui um coquetel de antibióticos, podendo durar até um ano e meio.

SINTOMAS
Os principais sintomas da hanseníase são: manchas avermelhadas, esbranquiçadas ou amarronzadas no corpo com diminuição ou perda de sensibilidade ao calor, tato e à dor; caroços avermelhados às vezes doloridos; sensação de choque com fisgadas ao longo dos braços e pernas; áreas com diminuição de pelos e suor; e o engrossamento do nervo que passa pelo cotovelo  levando à uma perda da força do quinto dedo da mão.

  

Comentários