ELEFANTA RAMBA A CAMINHO DE UM NOVO LAR

Finalmente, ela terá um lar digno para viver o restante de sua vida

A conscientização da sociedade mundial em prol da libertação dos animais lembra céu de brigadeiro, caminho livre e tudo indo muito bem. O destaque de hoje limita-se ao resgate de uma elefanta que vivia em cativeiro e circo na cidade de Santiago do Chile e depois de seis anos de intensa burocracia, foi definitivamente liberada para residir em outro local onde haverá respeito à sua vida. Trata-se de Ramba, um paquiderme com 53 anos de idade e que durante todo este tempo serviu de “divertimento” para pessoas que se compraziam com seu sofrimento. Um animal desse porte e raça vive aproximadamente 70 anos. Sabemos que animais em circo sofrem muito para atender às ordens de seus domadores, um absurdo inominável. Um animal pesando 3 600 quilos, distante de seu habitat, sofrendo muito, pois sabemos que tem consciência, emoções e, consequentemente, sentimentos. Com a reforma de paradigmas na proteção da fauna, o fato ecoou no país e as autoridades chilenas, através do Ministério Público local, proibiu o circo de apresentá-la em seus espetáculos. Ela foi posteriormente resgatada pela ONG Ecópolis, nos idos de 2011 e, agora, terá um novo lar.

Os responsáveis pelo Santuário dos Elefantes no Brasil, localizado na Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso, cientes do fato, entraram em contato com a ONG, oferecendo residência à elefanta e tudo ficou acertado, para o bem do animal. Ela embarcou para o Brasil e desembarcou no aeroporto de Viracopos há poucos dias, dentro de um container próprio para este tipo de viagem segura e, agora, está viajando via caminhão com toda proteção possível em direção ao santuário, uma longa viagem de mais de 1500 km. O Santuário dos Elefantes é um local aprazível, com vasta extensão territorial, ou seja, milhares de hectares simulando o habitat natural desses animais, com atendimento médico veterinário e todo conforto para viverem em paz. Ramba terá duas companhias e não mais viverá solitária e sob o jugo do sofrimento como vivia antes.

Eu já havia publicado artigo sobre o santuário, uma obra fantástica e que merece destaque e admiração por parte de todos que amam e respeitam os animais. Tais valores e paradigmas precisam ser ensinados às crianças para que, em futuro não muito distante, não haja mais crueldade contra os animais, seres sencientes, assunto abordado por mim em escolas, faculdades desde 2012. Tais ensinamentos precisam ser oficializados e considerados disciplina obrigatória em todas as séries escolares, pois não podemos abrir mão do progresso e todos os animais merecem, sem dúvida, nosso respeito e admiração. Os elefantes são animais herbívoros e dóceis, tão diferentes de alguns seres humanos insensíveis e selvagens como caçadores que se deleitam com a morte deles, retirando-lhes o marfim para fins de exploração comercial. Ainda bem que a causa protetiva aos animais reverbera no mundo e acredito, sinceramente, que em breve tempo tudo será diferente, quando humanos e animais viverão harmoniosamente, afinal, queiram ou não, somos todos irmãos e seres sencientes.

 

Gilberto Pinheiro – jornalista, palestrante em escolas, universidades sobre a senciência e direitos dos animais.
” Todos os seres da Criação são considerados filhos de Deus
e irmãos dos humanos. Deus quer que auxiliemos aos animais,
se necessitarem de ajuda. Toda criatura em desamparo tem o mesmo direito à proteção. São Francisco de Assis “

 


Comentários