Estudantes da Escola Sesi de Mogi Guaçu fazem doação para associação protetora de animais

Estudantes do 9º ano B da escola Sesi de Mogi Guaçu confeccionaram e doaram casinhas, camas, e redes , além de cobertores e roupinhas para cães e gatos da KAPA – Associação Protetora dos Animais. Eles  ainda puderam brincar com três cães resgatados pela instituição. O encontro aconteceu quinta-feira (24/06) e os cachorros aproveitaram para correr e se divertir no campo de futebol do CAT (Centro de Atividades).

A professora Ionara Correa Rossini explicou que os estudantes estão se dedicando ao tema “Por que o abandono?” no Eixo Integrador Interáreas – disciplina que desenvolve trabalho interdisciplinar entre as áreas do conhecimento – e a doação surgiu como uma ação efetiva dentro do contexto que vem sendo trabalhado.

“Eles escolheram o tema, pesquisaram, coletaram dados e informações sobre o abandono como referência para a parte prática”, mencionou. De acordo com a professora, outras ações devem ser realizadas como campanha para arrecadar ração e jornal (usado no abrigo) e visita à associação, quando for possível, para ajudar no passeio com os animais.

Ionara enfatizou a importância da disciplina que proporciona aos estudantes a oportunidade de trabalhar impactando na comunidade “o foco é ultrapassar os muros da escola com ações que visem o bem social”.

??

Segundo Valdirene Floriano, voluntária da KAPA, no Brasil, cerca de 30 milhões de cães e 25 milhões de gatos, vivem nas ruas. Ela enaltece iniciativas como a dos estudantes, “é impossível resolver a situação de todos, mas podemos colaborar fazendo nossa parte”.  Valdirene contou que a KAPA atua em Mogi Guaçu há 19 anos e hoje, acolhe 120 animais entre cães e gatos, além de desenvolver projeto de castração.

Resgatados pela Kapa, os cães João, Dênis e Laica, passaram parte da manhã brincando com os estudantes. João e Laica usam cadeira de rodas, ambos foram atropelados e abandonados. Dênis chegou à associação ainda filhote com sequelas de cinomose  – doença infectocontagiosa que causada por um vírus que pode acometer cães que ainda não terminaram o esquema vacinal (filhotes) ou que não costumam receber o reforço anual da vacina múltipla (V8, V10, V11 e V12).

Valdirene explicou que os três cães são exemplos que com os cuidados e tratamentos necessários é possível oferecer qualidade de vida evitando o abandono. A voluntária também aproveitou para conversar com os estudantes sobre a importância da vacinação e agradeceu pelas doações.

Também participaram do encontro, a diretora da escola Tais Cristiane de Lima, a coordenadora pedagógica Dóris Aparecida Rodrigues Vieira e os voluntários da KAPA, Marcos Aurélio Prado, Rose Trebeschi Pancheri e Daniela Toricelli.

  

Comentários