Exposição fotográfica de Guilherme Baffi abre Festival de Inverno em Holambra

O projeto “Meu palco é a rua”, do premiado repórter-fotográfico rio-pretense Guilherme Baffi, abre a partir de hoje, dia 8 de julho, a programação artística do Festival de Inverno de Holambra e poderá ser visitado gratuitamente pelo público na Biblioteca Municipal, das 08 às 19 horas.

Composta por 50 imagens, a exposição traz flagrantes de personagens anônimos e artistas renomados que “brilham” nas ruas, avenidas e cruzamentos de cidades do interior paulista. O projeto é realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, via ProAC/ICMS, e com o patrocínio das empresas Kodilar, Kozimar, Natural Life, refrigerantes Poty, Hidroveda e Rio Tech, além do apoio do Riopreto Shopping.

Segundo o fotógrafo Guilherme Baffi, a exposição tem como objetivo maior iluminar artistas anônimos que transformam as ruas em palcos para manifestações artísticas diferentes. “A proposta deste projeto é revelar em cada imagem uma história diferente, a arte não encontrada nos palcos e arenas convencionais e também aqueles personagens que, de modo involuntário, se tornaram figuras folclóricas e simbólicas da alma do povo brasileiro”, destacou.

A exposição já passou por salas de exposições, centros comerciais e escolas da rede municipal de ensino de outras quatro cidades do interior paulista – São José do Rio Preto, Mirassol, Bálsamo e Votuporanga. Depois de Holambra, onde ficará aberta ao público até o dia 29 de julho, a exposição seguirá para Artur Nogueira.

De acordo com a diretora municipal de turismo, Alessandra Caratti, é um privilégio para Holambra receber um projeto artístico inédito, de um fotógrafo renomado e que poderá ser apreciado pela população local gratuitamente.

“Trata-se de uma exposição muito bonita e surpreendente, com imagens únicas, que nos fazem olhar de forma diferente para artistas que habitam diariamente as ruas, avenidas e cruzamentos de cidades de todo o país”, afirmou.

Além da exposição, o projeto prevê também em Holambra um workshop de Guilherme Baffi, em data ainda a ser divulgada neste mês de julho, sobre a arte de fotografar, o processo que levou o artista a registrar o cotidiano dessas pessoas que fazem da rua seu verdadeiro palco e, ainda, instigar e estimular os visitantes a trilhar o caminho da fotografia.

“Em um mundo cada vez mais virtual, montar uma exposição como esta, com 50 imagens do cotidiano das ruas, certamente vai mexer com as pessoas, podendo levá-las até a reconhecer um pouco mais os artistas de rua”, explicou o repórter-fotográfico, que há 10 anos trabalha no jornal Diário da Região, um dos principais veículos de comunicação de todo o interior de São Paulo.

Guilherme Baffi descobriu, trabalhando no registro do cotidiano da cidade, o encanto das apresentações diárias dos artistas anônimos que fazem da rua o palco para suas performances. E foi com esse olhar que começou a registrar esses espetáculos de rua que, por vezes, passam despercebidos das pessoas. Agora, ele reuniu esses registros em um trabalho artístico e quer, justamente, instigar as pessoas a prestarem um pouco mais de atenção nesses artistas.

Aos 30 anos de idade e dono de uma carreira repleta de prêmios, como  o Prêmio Internacional Hamilton Ribeiro e o Prêmio Foto Arte de Brasília, Guilherme Baffi teve nos últimos quatro anos fotos de sua autoria escolhida para integrar edições do livro “O melhor do fotojornalismo brasileiro”, publicado pela editora Europa.

Natural de São José do Rio Preto, Guilherme Baffi é jornalista e herdou o gosto pela fotografia de seu pai, o também jornalista e fotógrafo Edson Baffi, que faleceu em 2011 e que durante 40 anos atuou profissionalmente na cidade, sendo considerado um dos mais respeitados do interior paulista. Ocupante da cadeira nº 15 da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura, Edson Baffi era um artista das lentes, sensível à poesia da cidade e à importância das circunstâncias cotidianas.

Matéria: Prefeitura de Holambra

mostrabaffi

  

Comentários