Fanfarra Amigos de Holambra promove campanha de arrecadação de fundos para turnê na Holanda em 2018

“Todos num só ritmo”. Este é o nome que a Associação Fanfarra Amigos de Holambra elegeu para a campanha que visa a arrecadação de fundos para a realização da próxima turnê na Holanda. Em julho de 2018, 40 jovens músicos estarão seguindo viagem para se apresentarem e representarem o grupo no território holandês.

De acordo com a coordenação da Fanfarra, a ação foi idealizada pelos pais que, além de incentivarem seus filhos a participarem, realizam ações em conjunto para a manutenção e união do grupo. A campanha possui o propósito de fixar novas parcerias com empresas situadas em Holambra e região, e por meio destas arrecadar fundos para colaborar com a realização da nova turnê. “Realizamos nossa primeira turnê em 2015, também na Holanda, e foi um grande sucesso. O público holandês, muito ligado à cultura e à projetos sociais gosta de uma música diferente e se encanta com as apresentações”, disse Catharine Sitta, presidente da associação. “Nós não tínhamos a intenção de retornar ao país tão cedo, pois exige muita logística e o custo é alto. Porém, o público holandês nos convidou a retornar e por este motivo é que idealizamos a ação”.

Para dar início à campanha, o grupo realizará a distribuição de um livreto especial a diversas empresas, no qual estarão expostas todas as informações sobre a Fanfarra (história e desenvolvimento), sobre a nova turnê e o projeto de arrecadação. O valor para doação é livre e apenas um grupo de pais, autorizados pela coordenação, poderá receber do órgão os valores em mãos, além de estar aberta também a opção de depósito na conta oficial da associação. “Os pais também se comprometerão pela entrega dos recibos, que serão expedidos com nosso CNPJ para que a empresa colaboradora possa realizar sua própria contabilidade”, frisa Catharine.

Ao chegar na Holanda, o grupo ficará responsável por abrir oficialmente o “carnaval sobre águas” na província de Westland. Após o evento, os músicos seguirão pelo território holandês realizando apresentações para entidades e estabelecimentos que colaborarem com a estadia da Fanfarra no país através de doações. Segundo Catharine, o resultado deste trabalho e de tantos outros que já foram realizados se resume na oportunidade que os jovens possuem para conhecer outras culturas, outros grupos musicais e se desenvolverem enquanto pessoas e profissionais. “Qualquer apresentação, seja aqui no município, em outras cidades ou fora do país é como se eles estivessem tocando pela primeira vez: eles sentem aquele frio na barriga e a encaram como uma nova aventura, e como um novo desafio. São experiências que eles jamais esquecerão”, afirma. “As empresas que colaborarem estarão contribuindo para uma agregação de cultura e conhecimento, além do desenvolvimento de cada um destes jovens”.

Um olhar para o futuro

Atualmente a Fanfarra Amigos de Holambra é composta por 70 integrantes, todos entre 10 e 25 anos de idade, sendo que alguns permanecem desde 2001 no grupo. Ao longo de seus 6 mil Km percorridos, cerca de 600 crianças já fizeram parte do projeto.  Para Márcio Oliveira e sua esposa Ana Paula Montanheiro, pais de um dos jovens músicos, a estruturação da associação e o desenvolvimento dos trabalhos apresentados são frutos, além do comprometimento dos integrantes, da união estabelecida entre os pais.

“Desde o início do grupo o apoio dos pais sempre foi primordial e a união entre nós é a base do projeto. As crianças se comprometem com a presença e os pais, além de apoiá-las, ajudam na organização e coordenação dos eventos e promovem iniciativas de arrecadação, o que fortalece ainda mais o grupo”, afirma Márcio. “Atualmente formamos grupos de pais para a venda de bolachas caseiras e flores pela cidade de Holambra. As mães se revezam na produção dessas bolachas e através delas também arrecadamos fundos para a continuação e crescimento do projeto. Ações como esta, entre tantas outras que realizamos, prova a força dessa união na intenção de que cada um de nós cresça junto com a Fanfarra”, disse Ana Paula.

Para Márcio, a intenção de todos os pais e amigos da Fanfarra Amigos de Holambra através da campanha é que, além da arrecadação financeira, a história da associação seja divulgada de uma forma ampla, levando arte e cultura à toda a população, de todas as localidades. “Nossa história é muito bonita: ao longo desses 16 anos de caminhada, houve muita luta e muitas conquistas. A arte e a cultura é algo a ser compartilhado com toda a população”, ressalta. “Estamos de portas abertas para que as empresas nos conheçam e nos convide para levar ainda mais longe ambas as dádivas”.

As empresas que possuem interesse em colaborar devem entrar em contato através dos telefones (19) 99292-1700/981309268; dos e-mails cathysitta@hotmail.com / marcio_holiveira@hotmail.com – ou por meio da página oficial da Fanfarra no Facebook – @fanfarradeholambra. Toda a coordenação do grupo estará disposta a agendar uma reunião, caso seja de interesse do órgão empresarial, para oferecer informações mais detalhadas sobre a turnê e o projeto de arrecadação. “As crianças que foram na turnê de 2015 não são as mesmas que irão em 2018; são poucas as que novamente estarão retornando, por questões de experiência. Sendo assim, estaremos oferecendo novas oportunidades, a novas crianças”, confirma Catharine.

 Origem

A atual Fanfarra Amigos de Holambra deu os primeiros passos em 2001, quando a atual coordenadora Catharine Sitta exercia a função de diretora de turismo e cultura na cidade. Para iniciar suas atividades o grupo recebeu um kit de instrumentos específicos, mas faltava um maestro para reger o grupo. Foi quando Mário Sitta se interessou pelo projeto, abraçou o grupo e se ofereceu voluntariamente para o cargo de maestro, que ocupa há 16 anos.

No período de 2001 à 2005 o grupo ficou conhecido como Fanfarra Municipal Infanto Juvenil de Holambra, mas o nome foi logo substituído por Fanfarra de Wilhelmus Welle, elaborado sob um decreto instituído pela Prefeitura, na época, em homenagem ao pai de Catharine, que foi um grande colaborador cultural quando Holambra ainda não tinha se tornado município.

Porém, em 2008, apesar de estar em destaque na cidade o grupo encerrou suas atividades. Segundo Catharine, o motivo do encerramento se deu por conta da troca de administração política, o que resultou em 6 meses de inatividade, sem ensaios e apresentações. Essa parada repentina chamou a atenção da população holambrense, que acompanhava as apresentações constantemente e tinha filhos ou conhecidos (crianças) que manifestavam desejo de participar do projeto.

De acordo com a coordenadora, foi neste momento que ela e seu marido sentiram o quão importante era a fanfarra na vida de muitos holambrenses e de seus filhos. “Quando a população começou a nos questionar sobre o fim da fanfarra, nós explicamos que não tínhamos mais dinheiro para comprar instrumentos e confeccionar roupas.  Porém, muitos moradores começaram a se mobilizar. Por meio de doações e investimentos feitos por eles, foram adquiridos novos instrumentos e pudemos voltar às atividades em 2009”, conta.

Desse ano em diante o grupo começou a atuar de forma independente, sem o subsídio de órgãos públicos. Renascia então a atual “Fanfarra Amigos de Holambra”, cujo nome foi instituído para homenagear todos os que colaboraram para que o projeto voltasse a acontecer. Há 8 anos independentes, os “Amigos de Holambra” já percorreram 6 mil Km visitando e se apresentando, inclusive, na Holanda, em 2015, com 50 crianças e também na Avenida Paulista, em São Paulo, onde estiveram por duas vezes.

O grupo visitou ainda a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, participando de uma missa posicionados no altar e, na sequência, tocando ao som de seus sinos. Para Catharine, a Fanfarra não atingiria tais feitos se não fosse a colaboração dos pais e amigos que muito fizeram e continuam fazendo até os dias de hoje pelo projeto. “Os pais realizam bingos, fazem rifas e buscam doações. Se não fosse o apoio deles, não chegaríamos até aqui”, afirma.

Texto e Fotos: Maria Elisa Moraes

  

Comentários