Feriado da Consciência Negra é comemorado com eventos na Praça Pádua

O feriado da Consciência Negra será de manifestações culturais, homenagens e programação musical na próxima terça-feira, 20/11, em Amparo. As atividades tem início às 10h30, com uma solenidade que relembrará Zumbi dos Palmares, Mestre Bimba e a comemoração dos 100 anos da capoeira que é comemorada no dia 23 de novembro.

No evento, na Praça Pádua Sales acontece também a homenagem a Olga Paulino da Silva – Dona Olga Tibúrcio.  Em seguida, roda de capoeira, com o “Abadá Capoeira”, formado por  representantes de Amparo, Americana  e Campinas e Conrado Almeida apresentando golpes e técnicas do Katá (luta com o inimigo invisível), fecham a programação matinal.

A partir das 13 horas, começam apresentações musicais com o reggae de Tiago Rasta, a partir das 13 horas; o hip hop com Caio Tolloto e equipe, a partir das 14 horas, a homenagem a grandes compositores negros com Garagem Jazz Club; Kingdom Black, a partir das 16 horas; Coral Integrado e João Belarmino, às 17 horas; o samba raiz com o grupo Mistura da Raça, a partir das 18 horas; rap da Família Sistema Unido, a partir das 19 horas e fechando, a partir das 20 horas, tem MC Rick Bronks, MC Vibreick, MC Vih, MC Serginho, MC BC e MC Babu, com o funk.

A Consciência Negra

A data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. A data foi escolhida 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também uma forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. Zumbi lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.

Importância da Data:

A criação desta data foi importante, pois serve como um momento de conscientização e reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Os negros africanos colaboraram muito, durante nossa história, nos aspectos políticos, sociais, gastronômicos e religiosos de nosso país. É um dia que devemos comemorar nas escolas, nos espaços culturais e em outros locais, valorizando a cultura afro-brasileira.

A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão.

A homenageada

Dona Olga nasceu no dia 16 de janeiro de 1927 em Amparo. Foi casada durante 54 anos com o senhor Benedito da Silva (vulgo Tibúrcio), passou as 4 gerações de uma família, teve nove filhos, mais de 23 netos, mais de 30 bisnetos e mais de 23 tataranetos.

Ela faleceu em Amparo no dia 21 julho de 2017 aos 97 anos de idade. Viveu sempre na rua da Glória, popularmente conhecida como Beco do Tibúrcio e na rua do Triunfo, popularmente conhecida como Beco do João Sujo . Essa singela homenagem á ela prestada pela sua historia de vida e idoneidade

  

Comentários