Fórum Sobre a Crise Hídrica apresentou ações de Amparo

O prefeito de Amparo, Luiz Oscar Vitale Jacob participou na tarde de terça-feira, 31/7, do 1º Fórum Sobre a Crise Hídrica, promovido pelo SAAE – Serviços Autônomo de Água e Esgoto e Prefeitura, em parceria com ARES PCJ e DAAE.

“Amparo foi o primeiro município do PCJ que assumiu a palavra Crise. As pessoas estão dormindo preocupadas com a crise, sentindo a crise, mas ninguém tem coragem de falar. Quando você assume, você terá sucesso. Amparo foi a primeira cidade a comprar a ideia do PCJ, com o prefeito Carlos Piffer e é referência para nós”, disse o secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz.

Jacob, na abertura do evento apresentou números e ações do Município e SAAE que visam combater a Crise Hídrica. O Chefe do Executivo observou que desde 2013, 62 mil mudas foram plantadas visando a recuperação de nascentes e a proteção do leito do rio Camanducaia, trocas das redes antigas de água e também ações visando a economia no consumo.

“Já recuperamos 16 nascentes. O foco é a produção da água. O SAAE, a secretaria de Educação tem trabalhado a conscientização com adultos e crianças. Todos necessitamos participar para que tenhamos tranquilidade no enfrentamento da Crise Hídrica”, sintetizou o prefeito de Amparo.

A superintendente o SAAE, Laura Petri Geraldino salientou que atualmente Amparo perde 40% da água. A média está dentro o índice nacional. Desde 2013, o município já trocou 20 quilômetros de redes antigas, por novas, diminuindo desperdícios. Além disso, ¼ dos hidrômetros foram trocados, com o objetivo de calcular o índice correto de consumo. Está em projeto a ETA – Estação de Tratamento de Água V, que  beneficiará a região do Santa Maria do Amparo e adjacências, além do desassoreamento do rio Camanducaia, que está em fase de licenciamento ambiental.

Segundo Laura, atualmente, Amparo possui parceria com produtores rurais e sitiantes, beneficiando 172 sítios no municípios, visando a recuperação de nascentes. Um total de 32 mil mudas foram plantadas próximo a córregos da cidade, aulas de educação ambiental para mais de 4 mil alunos e ações de limpeza no rio Camanducaia e seus afluentes tem acontecido.

A superintendente também defendeu o uso consciente da água durante o evento. “Um banho de quinze minutos consome em média 45 litros d’água. Se reduzirmos para cinco minutos, que é o recomendado, passamos a consumir 15 litros. Em um dia, numa cidade como Amparo é possível economizar mais de dois milhões de litros d’água. Temos trabalhado neste sentido, com ações com a população, fiscalização e educação ambiental nas escolas”, resumiu Laura.

O evento também contou com as explanações de Débora Faria Fonseca, Analista de Fiscalização e Regulação do ARES PCJ e Sarah Janaína Menuzzo Quental, responsável pela unidade de Administração de Recursos Hídricos da Bacia do Médio Tietê do DAEE.

  

Comentários