Gasoduto da Nico Lanzi passa por sondagens antes das obras de pavimentação

Foram iniciadas nesta terça-feira, dia 5, as sondagens para localização exata do ramal de gasoduto da CONGÁS (Companhia de Gás de São Paulo) na Avenida Nico Lanzi. O levantamento precede o início das obras de pavimentação da via.

As sondagens começaram a partir das proximidades da rotatória de entroncamento com as avenidas Brasil e Padre Jaime, no Jardim Serra Dourada, na margem direita da Nico Lanzi no sentido da Rodovia SP 340.

O serviço é realizado através de escavações a cada 200 metros, mais ou menos. Os técnicos verificam a profundidade e a distância da tubulação do gasoduto em relação ao asfalto existente.

Engenheiros da Construtora Simoso acompanham as sondagens. A empresa venceu a licitação e executará as obras de pavimentação e infraestrutura ao custo de pouco mais de R$ 3,5 milhões.

O prazo contratual para conclusão das obras é de seis meses. A empresa está programando iniciar a limpeza das margens da avenida para dar início às obras enquanto aguarda a conclusão do levantamento técnico referente ao gasoduto.

Ainda não se sabe se aquele ramal – que, da Nico Lanzi, segue pela Avenida Brasil até transpor a ponte sobre o Rio Mogi Guaçu e dali pela Avenida Oscar Chiarelli – abastecia apenas a Cerâmica Chiarelli, hoje desativada, ou outras empresas.

O projeto das obras da Nico Lanzi prevê a substituição do solo em toda a extensão de quase 1.800 metros, construção de galerias pluviais e sistemas de drenagem, ampliação da largura para 10,40 metros de guia a guia e nova pavimentação.

Os 10,40 metros correspondem a duas pistas de 3,5 metros, mais 2,5 metros de acostamento do lado direito no sentido da SP 340 e 45 centímetros de sarjeta e guias de cada lado. Estão projetados também os passeios públicos e uma rotatória.

O valor do contrato é de R$ 3.536.523,79. Estão sendo investidos R$ 3 milhões do financiamento de R$ 10 milhões recém-contratado junto à Caixa Econômica Federal, e o restante em recursos próprios do Município, como contrapartida.

  

Comentários