Governo do Estado faz atualização regional do Plano SP de flexibilização da quarentena

O Governador João Doria apresentou nesta sexta-feira (19) a atualização semanal do painel de classificação de fases de retomada econômica do Plano São Paulo. Devido a indicadores preocupantes de saúde no enfrentamento ao coronavírus, as cidades integrantes das regiões de Barretos, Marília, Presidente Prudente, Registro e Ribeirão Preto estão na fase vermelha, de restrição total a comércios e serviços não essenciais até a próxima revisão.

“Sempre que necessário, tomaremos medidas mais duras se assim for a referência do Comitê de Saúde. E avançaremos no Plano São Paulo se o comitê assim o referendar. Nenhuma decisão do plano de saúde do Governo de São Paulo é tomada por impulso político, vontade do Governador ou pressão empresarial, econômica ou política. Quem determina todas as ações é a saúde”, disse Doria.

A terceira atualização do acompanhamento da pandemia revelou indicadores satisfatórios de capacidade hospitalar e de variação de casos de COVID-19 na maioria das áreas das 17 DRSs, incluindo a capital e cinco sub-regiões da Grande São Paulo. Esse desempenho decorre da robusta ampliação de leitos conduzida pelo Estado neste mês, mas as variações semanais de internações e mortes ainda preocupam, o que deixa a maior parte dos municípios na fase laranja do plano.
Essa etapa prevê reabertura de imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio de rua e shoppings centers em horários restritos e com capacidade de atendimento presencial bastante reduzida. Bares, restaurantes, salões de beleza e academias continuam fechados ao público, mas podem funcionar em sistema de retirada na porta, entrega por telefone ou aplicativo ou atendimento domiciliar.

O Estado detectou piora nos índices de cidades como Campinas e Sorocaba, por exemplo, mas os dados das respectivas regiões não indicaram a necessidade de regressão de etapa do Plano São Paulo nos demais municípios do entorno. Porém, as prefeituras de cidades com piora significativa receberão uma nota técnica recomendando restrições locais.

“Os municípios têm autoridade e autonomia para, dentro de sua região, seguir a flexibilização ou fazer um endurecimento. Esta autonomia vem compartilhada da responsabilidade sobre os indicadores da própria cidade”, disse o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Na nova avaliação, a região de Registro apresentou piora significativa na variação de internações, um dos principais critérios técnicos do Plano São Paulo. Entre os dias 12 e 18 de junho, foram registradas 30 internações na região do Vale do Ribeira. Na semana anterior, eram apenas 18. O crescimento, portanto, foi de 67%.

Na semana do dia 9 de junho, o índice de variação de internações era de 0,86 no Vale do Ribeira e agora chegou a 1,67. Qualquer índice acima de 1,5 já coloca a região na fase vermelha. A variação é calculada a partir de seguinte cálculo: número de novas internações dos últimos sete dias, dividido pelas novas internações dos sete dias imediatamente anteriores.

 

Para melhorar o indicador de internações, o Governo do Estado atua para fortalecer a rede hospitalar nas regiões classificadas na fase vermelha. O Vale do Ribeira recebeu 10 respiradores para o Hospital Regional de Registro e ainda terá mais 10 equipamentos para criação de leitos de terapia intensiva no Hospital Regional em Pariquera-Açu. O reforço vai significar aumento de 100% na capacidade hospitalar da região.

O Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, anunciou parcerias com os consórcios de municípios para apoiar as prefeituras menores no atendimento e transporte dos pacientes com coronavírus. Serão investidos R$ 9 milhões na aquisição de 50 ambulâncias UTIs (com respiradores), ao custo de R$ 180 mil cada unidade.

“Como são regiões com muitos municípios menores e, portanto, sem leitos de UTI, o Governo do Estado trabalha em parceria com os consórcios, que terão apoio do Estado também com ambulâncias modelo UTI, com respirador. Vamos começar pelo CONSAÚDE, do Vale do Ribeira, pelo CODEVAR, de Barretos, e pelo CIVAP de Assis, na região de Marília”, destacou Marco Vinholi.

 

Comportamento da pandemia

Na média estadual dos últimos sete dias em relação ao período anterior, houve redução na taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para COVID-19 de 69,1% para 66,5%, além de aumento na média de vagas por cem mil habitantes de 18,1 para 19,1.

Também na comparação entre os registros estaduais da semana atual com a anterior, as médias de casos e internações na comparação à semana anterior tiveram queda de 10% e 1% respectivamente. Entretanto, a taxa semanal de mortes subiu 7% em relação ao mesmo período da última reclassificação.

“Quero continuar fazendo um apelo à população do estado de São Paulo para que fique em casa e respeite a quarentena. Usem máscaras, lavem constantemente as mãos e obedeçam ao distanciamento social de um metro e meio”, lembrou o Governador.

  

Comentários