Guarda Civil Municipal de Mogi Guaçu faz abordagem e orienta população quanto ao COVID-19

A Guarda Civil Municipal recebeu mais de 200 solicitações, desde a decretação de estado de emergência e de estado de calamidade pública, por descumprimento em decorrência da pandemia do COVID-19. A maioria dos chamados se refere a comércios que funcionam de forma irregular, contrariamente aos decretos do Governo do Estado e do Município.

Segundo o secretário de Segurança, Claudemir Adorno, os chamados estão se intensificando por causa do descumprimento dos decretos. Comércios que abrem as portas quando deveriam estar com as atividades suspensas ou operando com entrega e prestação de serviços na casa do cliente, exceto aos que estão enquadrados como serviços essenciais.

A GCM (Guarda Civil Municipal) está orientando o funcionamento destes estabelecimentos. O trabalho também conta com a participação de profissionais da saúde, que explicam a todo instante para a população a necessidade de evitar aglomerações. O acesso a bancos e casas lotéricas tem sido o maior problema.

“Nesta semana, por causa das datas de pagamentos e de vencimentos de algumas contas, o centro registrou grande número de pessoas, o que fez crescer o número de ocorrências desse tipo. Estamos orientando, mas, em muitos casos, quando a viatura deixa o local do fato, as pessoas voltam a se aglomerar”, explicou.

Os idosos têm sido orientados a permanecer em casa, evitando espaços públicos e contato com outras pessoas.

  

Comentários