fbpx

Gustavo Reis assume Prefeitura de Jaguariúna, corta metade das secretarias e anuncia auditoria

Ao assumir seu segundo mandato frente à Prefeitura de Jaguariúna, em cerimônia realizada no Teatro Municipal neste domingo, dia 1º de janeiro, o prefeito Gustavo Reis anunciou corte de metade das secretarias municipais e uma ampla e irrestrita auditoria para apurar a dívida das contas públicas municipais, estimada em R$ 80 milhões.

Uma das cidades com maior orçamento na Região Metropolitana de Campinas (RMC), Jaguariúna começa 2017 assustada com a dívida deixada pela administração passada e o comprometimento do funcionamento de serviços nas mais diferentes áreas municipais, entre elas saúde e serviços urbanos. Dessa forma, seis das 14 secretarias municipais da Prefeitura de Jaguariúna não tiveram os nomes de seus titulares anunciados na posse do novo prefeito.

Gustavo Reis anunciou apenas os seguintes secretários: Maria do Carmo Pelisão (Secretária de Saúde), Cristina Catão (Secretária de Educação), Fabiano Urbano (Secretário de Negócios Jurídicos), Valdir Parisi (Secretário de Governo), Cristina Serra (Secretária de Finanças), Maria das Graças Hansen Albaran (Secretária de Cultura e Turismo), Andrea Dias Lizun Bergamasco (Secretária de Assistência Social) e Rafael Blanco (Secretário de Esportes).

Outras medidas anunciadas pelo prefeito eleito Gustavo Reis para tentar equilibrar as contas municipais e manter em atividade os mais diferentes serviços em funcionamento no município foram o corte de 50% dos cargos comissionados, aqueles conhecidos como cargos de confiança, o fim das verbas para custeio de despesas pessoais diárias dos secretários e o fim da cessão de um veículo oficial exclusivo para o uso de cada secretário municipal.

Gustavo Reis anunciou, também, que irá fazer uma revisão minuciosa dos contratos em andamento. O objetivo é avaliar se os valores pagos pela Prefeitura estão em conformidade com os praticados no mercado. Segundo o prefeito eleito, essa medida visa conter possíveis abusos e desperdícios de recursos públicos.

Matéria: Aluízio Santana

  

Comentários