Holambra tem saldo positivo de empregos formais e RMC recua, diz CAGED

Enquanto o saldo de empregos formais caiu em janeiro na Região Metropolitana de Campinas (RMC), Holambra registrou crescimento, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

No primeiro mês deste ano, as cidades da RMC registraram, entre contratações e demissões, uma diferença de 1.570 postos de trabalho com carteira assinada. No mesmo período de 2018, o saldo foi de 2.499 – uma queda de 37,1%. Holambra, na contramão, teve aumento de 7,5%: passou de 93 no ano passado para 100.

Muitos municípios próximos apresentaram redução nos números. Artur Nogueira contabilizou saldo de 24 postos em 2018 e neste ano mais demitiu do que contratou (-21). Em Engenheiro Coelho a diferença entre admissões e demissões foi de 55 em 2018. Agora, o número também foi negativo (-83). Já Valinhos teve saldo de 362 postos no ano passado e este ano amarga uma queda (-303).

Para o prefeito de Holambra, Fernando Fiori de Godoy, os investimentos em infraestrutura têm sido fundamentais para ajudar a tornar possíveis resultados positivos como este, já que grandes empresas se instalaram ou ampliaram suas atividades em Holambra nos últimos anos. “Fizemos melhorias no sistema de tratamento de esgoto e a ampliamos a capacidade de tratamento de água. Isso permitiu a aprovação junto a órgãos de controle, como a CETESB, de novas empresas e empreendimentos”, explicou.

 


Comentários