Iniciada a construção de segundo módulo na estação de tratamento de esgoto em Mogi Guaçu

 

Foram iniciadas as obras de construção do segundo módulo da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da região central, às margens da Avenida Brasil, que, ao ser concluída, terá capacidade para tratar esgoto para uma população estimada de 120 mil pessoas.

O superintendente do SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Elias Fernandes de Carvalho, foi verificar pessoalmente o início das obras.

Trata-se do primeiro contrato de operação de crédito do país do Programa Avançar Cidades – Saneamento, na modalidade Esgoto Sanitário.

O valor do financiamento é de R$ 23 milhões.

A construção deste novo módulo duplicará a eficiência da Estação de Tratamento de Esgoto às margens da Avenida Brasil, que hoje processa uma carga de esgoto de aproximadamente 60 mil habitantes.

A construção deste módulo de tratamento possibilitará a desativação da grande lagoa de tratamento, que é responsável pelo mau-cheiro e pelo consequente incômodo aos moradores da região.

Além disso, a lagoa de decantação possui eficiência de 60% no tratamento de esgoto.

Com a desativação da lagoa e com a utilização apenas dos módulos de lodo ativado, a eficiência será de 100%, o que demonstra a qualidade da água que retorna para o Rio Mogi Guaçu após passar por todo o processo de tratamento.

100% DE ESGOTO TRATADO

Mogi Guaçu estará atingindo 100% de esgoto tratado com a conclusão de outra importante obra neste primeiro semestre.

A inauguração da primeira fase da Estação de Tratamento de Esgoto da Bacia dos Ypês vai garantir o tratamento de esgoto de toda a zona norte.

Atualmente, as duas fases estão em obras. A primeira conta com financiamento de R$ 4 milhões, com contrapartida de R$ 5 milhões da autarquia.

O segundo módulo está orçado em R$ 13,5 milhões, com recursos a fundo perdido, isto é, sem devolução, ao governo federal.

  

Comentários