Inverno: vontade de comer alimentos mais calóricos não é só imaginação

Nutricionista dá dicas de como se alimentar bem nos dias frios

 O inverno de 2022 teve início no dia 21 de junho e teremos dias mais frios até a segunda quinzena de setembro. Nos dias mais frios, é comum a vontade de comer alimentos mais calóricos e gordurosos. Para se alimentar de forma saudável na estação, Adriane Lemos, nutricionista e professora da Wyden, dá algumas dicas.

“No frio, realmente temos mais vontade de comer alimentos mais calóricos, pois nosso organismo precisa de mais energia para manter a temperatura do nosso corpo. Entretanto, independente da estação do ano, é preciso consciência da quantidade e tipos de alimentos que ingerimos, para que nossa saúde não seja prejudicada”, explica a professora.

A primeira dica é manter os vegetais na dieta, mas agora, optar pelo preparo de refogados. São muitas as opções, como cenoura, abobrinha, brócolis ou couve-flor, que podem levar um tempero caprichado, com noz-moscada, pimenta-do-reino e um pouco de azeite. O sal, como sempre, deve ser moderado.

Manter o corpo hidratado é sempre muito importante, mesmo que a vontade de tomar água diminua durante o frio, o que é comum, pois transpiramos menos nesse período. “Uma boa dica é investir nos chás, que são saborosos e contam com diversas opções. Quem sofre de pressão alta ou está gestante precisa consultar um médico para consumir as opções mais adequadas”, explica Adriane.

Consumir as gorduras boas. O termo “gorduras boas” é atribuído às gorduras insaturadas. Os alimentos ricos em gorduras boas são abacate, azeite de oliva, castanhas e peixes gordos, como salmão, atum, sardinha e truta. Eles são cheios de ácidos graxos e ômega 3. É importante também consumir frutas, dando preferência para as frutas da época, por serem mais nutritivas e mais baratas.

“Um importante lembrete é de não ser feita uma redução drástica de calorias, para não comprometer o sistema imunológico durante o inverno. Não é necessário e nem faz sentido retirar arroz, batatas ou mandioca, por exemplo, sem a indicação de um profissional. Os carboidratos são fontes de energia para o nosso sistema nervoso central, sem contar que estão relacionados à manutenção do sistema imunológico”, encerra a professora Wyden.

  

Comentários