Jovens da Fundação CASA em Mogi Mirim vencem Gincana Olímpica e Paraolímpica promovida pela Instituição

Centros socioeducativos Laranjeiras e Mogi Mirim conquistaram a primeira e terceira classificação do evento esportivo em alusão às Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio 

 

Os jovens que cumprem medida socioeducativa de internação nos CASAs Laranjeiras e Mogi Mirim, em Mogi Mirim, conquistaram o primeiro e o terceiro lugar, respectivamente, na II Gincana Olímpica e Paraolímpica da Fundação CASA. No total, 96 centros socioeducativos em todo o Estado de São Paulo participaram da competição.

O evento é promovido pela Gerência de Educação Física e Esporte (Gefesp) da Fundação CASA. Foi a segunda edição da gincana sobre as olimpíadas e paraolimpíadas, agora em alusão aos jogos de Tóquio 2020.

Depois de cumprir as 14 tarefas previstas na competição, a equipe do CASA Laranjeiras, formada por adolescentes e servidores dividiu o primeiro lugar com os internos do CASA Terra Nova, em Itaquaquecetuba.

Os jovens do CASA Mogi Mirim também dividiram a terceira colocação com a equipe do CASA Irapuru, de Irapuru. Em segundo lugar ficou a equipe do CASA Ipê, do Complexo Raposo Tavares, em São Paulo. Todos ganharão um kit esportivo como prêmio.

Os centros socioeducativos nas três primeiras colocações pertencem, respectivamente às divisões regionais Metropolitana Campinas (DRMC), Vale do Paraíba (DRVP), Metropolitana Noroeste (DRMNO) e Oeste (DRO).

“A intensa dedicação das equipes atingiu os objetivos da Gincana, como ampliar o conhecimento sobre a história e o legado olímpico e paraolímpico”, avalia a gerente da Gefesp, Janaína de Brito Asprino.

“A competição também foi um meio de proporcionar momentos de respeito às diferenças e à diversidade cultural, conscientizando a todos os participantes”, acrescenta o superintendente Pedagógico da Fundação CASA, Carlos Alberto Robles.

 

Sobre a Gincana 

A II Gincana Olímpica da Fundação CASA ocorreu entre os meses de julho e agosto, próximo ao período de realização das Olimpíadas de Tóquio 2020, no Japão.

Adolescentes em internação e servidores cumpriram 14 tarefas dentro dos próprios centros socioeducativos, respeitando o distanciamento social e as condições de higiene para evitar a propagação da Covid-19.

Entre as provas estavam a elaboração de painéis; realização de uma partida de goalball, uma modalidade paraolímpica de jogo para deficientes visuais; brincadeiras de rua; coreografias de dança; narrações esportivas; quizz, dentre outras.

Cada tarefa foi registrada em foto ou vídeo, acompanhadas por profissionais de Educação Física do próprio centro. O material foi entregue até a última sexta-feira (06). A equipe de servidores da Gefesp avaliou os registros e atribuíram as notas conforme o regulamento da competição.

  

Comentários