Mogi Guaçu terá Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil a partir de agosto

A Secretaria Municipal de Saúde agendou para o dia 1º de agosto, às 14h, a inauguração do Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil (CAPS IJ), que funcionará no Parque Cidade Nova. O CAPS IJ irá substituir as atividades do Centro de Atendimento Infantil e Adolescente (CAIA), que atende crianças e adolescentes com transtornos mentais desde 2006.

A nova unidade será voltada para o atendimento de jovens com transtornos mentais graves e persistentes, inclusive pelo uso de substâncias psicoativas. O objetivo é fortalecer e intensificar a proposta de abordagem psicossocial contribuindo para o desenvolvimento e crescimento dos atendidos. O Caps IJ terá uma equipe composta por psicólogos, assistente social, terapeuta ocupacional, enfermeira, técnico de enfermagem, educadores sociais, médico psiquiatra, psicopedagoga, professor de música e artesã.

“Por meio da terceirizada, conseguimos atender esse pedido antigo da equipe de saúde mental e vamos colocar em prática essa mudança do CAIA para o CAPS IJ, já a partir de agosto, com a contratação de novos profissionais”, explicou Gildo Martinho de Araújo, secretário municipal de Saúde, ao informar que o reforço da equipe está sendo feito pela Organização Social (OS) Instituto Doutora Rita Lobato, que desde o dia 1º de julho é responsável pela gestão dos serviços de saúde de Mogi Guaçu.

Segundo Jane Papa Fernandes, coordenadora de Saúde Mental, houve considerável aumento no número de crianças que necessitam de atendimento. “Também observamos o agravamento das queixas que chegam ao CAIA. Então, sem sucesso, desde 2013 solicitamos a instalação do CAPS IJ na nossa cidade, pois temos demanda para esse atendimento. O sim finalmente veio”, comentou.

Assim como acontecia no CAIA, o atendimento às crianças e adolescentes com transtornos mentais severos e persistentes ocorrerá por demanda espontânea ou encaminhamento da rede pública de saúde. “O Caps IJ é um equipamento necessário para as nossas crianças e adolescentes, pensado por uma equipe multiprofissional. O nosso usuário tem direito a qualidade, à saúde e ao cuidado integral”, reforçou Jane Papa.

Vale ressaltar que Mogi Guaçu já possui em sua estrutura organizacional de saúde o CAPS-AD, que atende pacientes com sintomas relacionados ao consumo de álcool e drogas, o CAPS II, que atende pacientes com transtornos mentais moderados e graves, o Ambulatório de Saúde Mental, que atende pacientes com transtornos mentais leves, e um serviço de Residência Terapêutica para pacientes egressos de hospitais psiquiátricos que estavam internados há mais de dois anos e que não possuem suporte familiar.

CAIA
O Centro de Atendimento Infantil e Adolescente (CAIA) foi criado em 2006 e atualmente atende 30 pacientes por semana. O serviço ambulatorial em saúde mental atende crianças, adolescentes e familiares de 1 a 17 anos e 11 meses, que apresenta transtorno mental leve e moderado. O CAIA está instalado à Rua Faustino Custódio dos Santos, 375, Parque Cidade Nova, e, a partir de 1º de agosto, será sede do CAPS IJ.

  

Comentários