fbpx

Mogi Mirim prossegue com vacinação contra a gripe

A Secretaria de Saúde recebeu nesta semana, dados da regional que aponta óbito em cidade vizinha, por Influenza A (H3 sazonal). E em outro município adjacente, mais um caso de Influenza A (H3 sazonal), em tratamento.

Principalmente os pais devem ter consciência da importância de vacinarem seus filhos, pois essa vacina, muito mais que proteger de uma gripe comum, visa a proteção contra os subtipos do vírus influenza: H1N1, H3N2 e B, que podem levar a óbito, como já registrado em nossa região.

A meta é vacinar 80% dos grupos prioritários. Mogi Mirim já atingiu 176% das puérpuras, 81% dos idosos, 97% dos profissionais da Saúde, ou seja, até passando da meta. No entanto, a cobertura das crianças foi de 70% e das gestantes 58% até o momento.

Apesar de todos os esforços da Secretaria de Saúde disponibilizando postos volantes em supermercados, praças, feiras e eventos, e ainda, abrindo UBS’s de sábado, o dia todo, não foi possível cumprir a meta no período de campanha, por isso, teve que prorrogar. Porém, é importante frisar que isso não é uma peculiaridade de Mogi Mirim, todo o estado de São Paulo está nesta situação, na verdade nosso município está até acima da cobertura do estado.

Por isso, a Secretaria de Saúde pede às pessoas pertencentes aos grupos prioritários, que ainda não tomaram a vacina para procurar uma UBS mais próxima para se vacinarem. Lembrando que a campanha de vacinação contra a gripe é voltada a pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da Saúde, crianças a partir de 6 meses à menores de 5 anos de idade (até 4 anos 11 meses e 29 dias), gestantes, puérpuras (até 45 dias após o parto) e pessoas com doenças crônicas.

Importante ressaltar que a definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde, além de ser respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, cujo principal agente o vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Para aqueles que possuem doenças crônicas (e não estão nos grupos prioritários) é necessário uma receita, indicação ou carta médica.

A partir desta semana, a Secretaria de Saúde de Mogi Mirim, também estará vacinando pessoas pertencentes aos grupos: policiais, bombeiros, correios e professores (mediante a identificação comprobatória).

  

Comentários