Mogi Mirim registra mais duas mortes por dengue

 

A Vigilância em Saúde informou, nesta terça-feira (28), mais duas mortes por dengue em Mogi Mirim. De acordo com o órgão, vinculado à Secretaria de Saúde, trata-se de uma mulher, de 56 anos, e um homem, de 72 anos, ambos moradores no Centro. Essa é a terceira morte confirmada por dengue no ano na cidade. O primeiro caso foi registrado em um homem de 93 anos, morador do bairro Santa Luzia, zona Norte, que faleceu em janeiro.

O motivo pelas duas novas mortes são embasados em um exame de sorologia de dengue realizado pela Secretaria de Saúde em um laboratório credenciado no próprio município. A Prefeitura ainda aguarda a chegada de exames do Instituto Adolf Lutz, em São Paulo.

Até a última quinta-feira (23), a cidade registrava 1.773 casos positivos, segundo o boletim semanal divulgado pela Vigilância em Saúde, além de outras 5.040 notificações. Um balanço será divulgado nesta quinta-feira (30), com provável cenário de aumento da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

A região central, até a última semana, era a terceira região da cidade com mais casos de dengue, 193, atrás da zona Leste, com 326, e zona Norte, 935.

Segundo o Ministério da Saúde, todas as faixas etárias são suscetíveis à dengue de forma igualitária, mas as pessoas idosas têm maior risco de desenvolver dengue grave e outras complicações que podem levar à morte. O risco de gravidade e morte aumenta quando a pessoa possui alguma doença crônica, como diabetes e hipertensão, mesmo tratada.

  

Comentários