Mogi Mirim teve a menor baixa de empregos com carteira assinada da microrregião.

Mogi Mirim, vem apresentando um bom desempenho no seguimento de móveis e decoração, contrario a todo estado em nossa cidade este seguimento vem se recuando com força e isso pode ser comprovado com os número de empregos com carteira assinada que oscilou muito pouco em relação ao mês de Fevereiro e em comparação as nossas cidades vizinhas Mogi Guaçu que teve uma perda de 26 postos de trabalho, Itapira com 11 perdas e Mogi Mirim apenas 6.  Abaixo as pesquisas detalhadas de cada cidade.

06 postos de trabalho formal são fechados no varejo de Mogi Mirim em março

O comércio varejista de Mogi Mirim fechou 06 postos de trabalho formal em março. O saldo negativo é resultado de 197 admissões e 203 desligamentos. No acumulado dos últimos doze meses, 125 empregos com carteira assinada foram criados, saldo de 2.201 admissões e 2.076 desligamentos. O varejo do município encerrou o mês com 4.684 trabalhadores ativos, a maioria deles alocados na atividade supermercadista.

Em março, quatro das nove atividades analisadas fecharam vagas formais com destaque para as lojas de vestuário, tecidos e calçados que determinaram o desempenho geral negativo. No acumulado de abril de 2017 a março de 2018, destaque para a geração de empregos com carteira assinada nas lojas de móveis e decoração, movimento contrário ao observado no estado.

– 11 postos de trabalho formal são fechados no varejo de Itapira em março

O comércio varejista de Itapira fechou 11 postos de trabalho formal em março. O saldo é resultado de 123 admissões e 134 desligamentos. Entretanto, 41 vagas foram criadas no acumulado em doze meses, saldo de 1.374 admissões e 1.333 desligamentos. O varejo do município encerrou o mês 3.459 trabalhadores ativos, sendo a atividade supermercadista a maior empregadora.

Em março, quatro das nove atividades fecharam vagas com destaque para os supermercados. No acumulado dos últimos doze meses, destaca-se o bom desempenho das farmácias e perfumarias com 39 empregos com carteira assinada gerados e os sinais de recuperação do mercado de trabalho das concessionárias de veículos.

– 26 postos de trabalho formal são fechados no varejo de Mogi Guaçu em março

O comércio varejista de Mogi Guaçu fechou 26 postos de trabalho formal em março. O saldo negativo é resultado de 253 admissões e 279 desligamentos. Entretanto, 161 vagas foram criadas no acumulado dos últimos doze meses, resultado de 3.082 admissões e 2.921 desligamentos. O varejo do município encerrou o mês com 4.648 trabalhadores ativos, a maioria deles alocados na atividade supermercadista.

Em março, seis das nove atividades analisadas fecharam vagas formais com destaque para os supermercados. No acumulado dos últimos doze meses, surpreende o desempenho negativo das farmácias e perfumarias e a forte geração de empregos com carteira assinada no segmento de materiais de construção, movimento contrário ao observado no estado.

Estado de São Paulo

Pelo terceiro mês consecutivo, o comércio varejista do Estado de São Paulo fechou vagas com carteira assinada. Em março, 4.738 empregos foram eliminados, saldo de 76.591 admissões e 81.329 desligamentos. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 2.060.739 vínculos formais.

 

  

Comentários