fbpx

Morte de morador de Artur Nogueira não foi provocada por H1N1

O Instituto Adolfo Lutz descartou que a morte de um homem em Artur Nogueira tenha sido causada pelo vírus H1N1. O resultado do exame foi divulgado na quarta-feira (20), e deu negativo para o vírus, que também é conhecido como Gripe Suína.

O município investigava a morte do vendedor Dorival Henrique Camilo, de 55 anos, desde o início deste mês. Ele deu entrada no Hospital Bom Samaritano no dia 5 com tosse, febre e diagnosticado com pneumonia. O quadro evoluiu rapidamente e o paciente precisou ser entubado, sedado e transferido para uma área isolada do hospital. A partir deste ponto, os médicos suspeitaram que ele pudesse ter contraído o vírus H1N1.

Após a suspeita da doença, o hospital comunicou a Vigilância Epidemiológica, que passou medicamentos apropriados para o combate da doença. A Vigilância ainda coletou exames e enviou o material para o Instituto Adolfo Lutz. Mesmo com o tratamento, Camilo evoluiu para um quadro de disfunção de órgãos e morreu no dia 10.

De acordo com o Hospital Bom Samaritano, a morte do morador de Artur Nogueira foi causada por uma pneumonia atípica. “O hospital tomou as medidas que precisaram ser tomadas. Foram medidas de segurança, tanto do hospital, quanto da vigilância e da Secretaria de Saúde. O paciente teve insuficiência respiratória, causada por um a grave pneumonia”, afirma o médico Dalton Vinicius Liedke, que acompanhou todo o caso.

O diretor do hospital, Sidney Dutra, informou que o procedimento adotado foi padrão. “No momento que a equipe médica suspeitou de uma provável H1N1, imediatamente foi tomada todas as providências e precauções que o protocolo determina. Importante ressaltar que sempre que houver suspeita serão executados os mesmos procedimentos, visando sempre à segurança e saúde de todos”, afirma Dutra.

O prefeito Celso Capato também se pronunciou a respeito do caso. “A confirmação do Instituto Adolfo Lutz de que a morte de Dorival Henrique Camillo não foi provocada pelo vírus H1N1 é um alerta muito claro do cuidado que temos que ter ao ler falsas informações e boatos maldosos no Facebook. Lamentavelmente uma única pessoa divulgou a informação de que o hospital Bom Samaritano, onde funciona atualmente o Pronto-socorro Municipal, estava espalhando o vírus da Gripe Suína”, declara o prefeito.

Capato ainda revelou indignação. “Registro aqui minha revolta com essa atitude irresponsável que tentou criar um clima de terror em nossa cidade com o único objetivo de fazer politicagem e tentar tirar proveito eleitoral. Para esse tipo de pessoa, infelizmente, não há nenhum tipo de limite quando o que está em jogo é tentar denegrir a imagem da administração municipal e de todos aqueles que trabalham ou prestam serviço para o setor público. Independente da preferência política de cada um é fundamental, sempre, respeitar o sentimento das pessoas envolvidas. Nesse caso, especialmente, tanto da família que acabara de perder um ente querido, como dos profissionais de saúde que trabalham de maneira séria e honesta. Movida por uma vontade desesperada de aparecer, esta pessoa não teve a mínima preocupação em respeitar a memória do cidadão que havia acabado de falecer. De forma leviana expôs, inclusive, os familiares do paciente. É importante ressaltar que a equipe médica do hospital Bom Samaritano, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, tomou todas as medidas protocolares necessárias desde o primeiro momento em que foi levantada a suspeita de que o paciente poderia ter contraído o vírus do H1N1. Nada, nem ninguém mal intencionado, vai conseguir nos intimidar com boatos irresponsáveis e mentiras deslavadas e oportunistas. Estamos trabalhando muito, todos os dias, para que a população de Artur Nogueira possa ter acesso a um atendimento médico humanizado e eficiente”, declarou o prefeito.

  

Comentários