No primeiro dia da campanha antirrábica, Jaguariúna vacina 40% de seus cães e gatos

Um balanço prévio da Secretaria Municipal de Saúde aponta que a Campanha de Vacinação contra Raiva Animal, organizada pela Prefeitura de Jaguariúna, que inclui a ação das equipes em postos fixos e volantes, vem obtendo um retorno positivo em relação ao chamado feito à população.

De acordo com a secretária de Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão, somente no sábado, 26 de agosto, foram vacinados 1701 cães e 316 gatos nos postos fixos (2017 no total), além de outros 38 animais domésticos imunizados em visitas domiciliares.

Somados, até a última segunda-feira, 28 de agosto, 2055 animais (entre cães e gatos) tinham sido imunizados, o que significa 40% da meta para o município, que é vacinar 5126. Além disso, desde o início desse ano pelo menos 1440 vacinas foram aplicadas e informadas ao GVE (Grupo de Vigilância Epidemiológica) pelas clínicas veterinárias.

O Instituto Pasteur, ligado à Secretaria Estadual da Saúde, revelou que a população de cães e gatos em Jaguariúna é estimada em 8158 animais. A vacina, no entanto, é recomendada apenas para cães e gatos com mais de três meses de idade, incluindo animais idosos e as fêmeas que estiverem no cio ou amamentando.

“Nosso departamento de Vigilância em Zoonoses é formado por profissionais experientes e tivemos uma boa divulgação, então, estamos satisfeitos com os resultados alcançados até aqui, mas quero lembrar que a campanha não terminou. Os donos que ainda não levaram seus animais para vacinar têm esse compromisso, pois imunizá-los contra a raiva é proteger a saúde de todos”, reforça a secretária.

Vacinação continua

Conforme a Secretaria de Saúde, a vacinação continua nos dias 2 e 23 de setembro e todos os animais domésticos que ainda não receberam a vacina devem ser imunizados A campanha antirrábica em Jaguariúna acontece em 60 postos de vacinação, sendo 56 fixos e 4 volantes.

O Departamento de Unidade de Vigilância de Zoonoses alerta que não serão oferecidas doses para aplicação em casa. Além disso, lembra que os cães ferozes devem ser levados em coleira e com focinheira, se necessário, sob responsabilidade de uma pessoa adulta.

Transmitida por meio da saliva dos animais contaminados, a forma principal de transmissão da raiva é pela mordida de animais doentes, sejam cães ou gatos. Nos cachorros e no homem o vírus da doença pode permanecer encubado por até 2 meses, antes da manifestação dos sintomas.

Matéria: ASCOM

  

Comentários