fbpx

Nogueirense ganha medalha de astronomia

O estudante nogueirense Felipe de Vicente Martins, de 15 anos, conquistou medalha de prata na 17ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Felipe está no primeiro ano do ensino médio e se destacou, pela segunda vez, ao participar de projeto desenvolvido entre a Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) em parceria com escolas cadastradas voluntariamente no projeto.

Estudante da Escola José Apparecido Munhoz, o jovem ganhou medalha de ouro ano passado na mesma competição após concorrer com jovens de todo o país em uma das mais importantes competições do segmento. Para a professora Rosemary Costa, diretora da escola, este é um momento especial para todos, pois “significa que o trabalho desenvolvido pela instituição está dando certo”. A diretora destaca que Felipe é um aluno exemplar. “Além de estudar em seu turno ele faz aulas de astronomia no contra turno”.

Humilde e carismático, Felipe garante que parte fundamental do seu desempenho está relacionado a dedicação de professores na hora de transmitir o conhecimento. O jovem lembrou dos desafios que enfrentou junto com o professor de Matemática, Hércules Paschalis, para conseguir estudar o tema. “Estamos desde o início do ano envolvidos nesse projeto. O professor Hércules se dedicou muito e tivemos aulas mais dinâmicas com menos teoria e mais prática” afirmou o estudante.

Para Felipe, atividades como a Olimpíada de Astronomia são fundamentais para a qualificação do estudante. “Acho importante pro nosso desenvolvimento intelectual” disse o jovem. Quando questionado se pretende seguir a carreira na área de astronomia, Felipe ponderou. “Gosto da área mas ainda não sei se é isso que eu quero pra mim”. Fascinado por exatas, Felipe afirma que, independente da área, os números devem fazer parte da sua vida sempre.

A medalha foi entregue na noite de ontem, quinta-feira (23) durante reunião de pais e mestres realizada na escola. A diretora acredita que Felipe seja uma referência para outros estudantes e sugere que o destaque do jovem na área possa servir de inspiração para seus colegas. “O que gostaríamos é que mais alunos participassem e se destacassem da mesma forma. Mas a gente espera que esse resultado inspire outros alunos também”.

  

Comentários