Nogueirenses conquistam faixa preta de judô na capital Paulista

Com o objetivo de trabalhar os princípios e valores do esporte para promover a educação e o desenvolvimento humano, Artur Nogueira recebeu em 2011 o Projeto Judô Esporte Social. Idealizado na Universidade Estadual Paulista pelo Professor Rodolpho Lavoura e desenvolvido pela Secretaria de Esportes, o Projeto de Judô tomou proporções ainda maiores do que as ações sócio-educacionais. Além de transmissão de valores sociais, melhora no rendimento escolar, enriquecimento e correção do repertorio motor, auxilio no auto controle emocional, as aulas de Judô também formou atletas que acumularam centenas de títulos para Artur Nogueira.

E as conquistas não param por aí. Nesse sábado, dia 28, André Ferreira Jr. (17 anos) e Lucas Vieira (18 anos) foram até o Clube Juventus na Capital Paulista para se submeterem ao exame de Faixa Preta, realizado pela Confederação Brasileira de Judô através da Federação Paulista. Ambos iniciaram o Judô em 2011 e desde então se preparam para esse dia. “A faixa preta é construída desde o primeiro dia em que o aluno inicia o Judô. Ao longo dos anos Lucas e Juninho foram acumulando conhecimento, experiências e aprendizados que os gabaritaram a participar dessa avaliação”, explica o professor Rodolpho Lavoura.

A avaliação desses alunos começou há dois anos. Durante esse período eles acumularam pontos em competições, atuaram como árbitros em competições oficiais e realizaram todos os cursos exigidos pela Federação. No final do mês de agosto os alunos tiveram seus currículos aprovados pela FPJudo e conquistaram o direito de participar do exame. “A graduação dos alunos desde a faixa branca até a faixa marron é responsabilidade de cada professor. A graduação para faixa preta é responsabilidade das Federações Estaduais. A Federação Paulista exige uma forma de “estagio” onde os candidatos devem acumular funções e conquistar o direito de realizar a avaliação final, que ocorre uma vez ao ano”, explica o professor.

Lucas e Juninho mau dormiram tamanha a ansiedade. “Sonho com essa faixa desde o dia que iniciei o Judô. Me preparei muito e estava confiante, mais não por isso menos ansioso”, relata Lucas Vieira, atleta que também atua como estagiário de Educação Física na Secretaria de Esportes.

Os exames iniciaram as 8h e se prolongaram até as 15h. Ambos foram avaliados por cerca de 30 minutos cada. Ao final do dia a grande noticia: o Projeto de Judô de Artur Nogueira acabava de ganhar mais 2 faixas pretas. A cerimônia de troca de faixas ocorreu logo em seguida, com a entrega das faixas pretas e dos certificados. “Muito difícil de descrever a sensação. Certamente foi a maior conquista de minha vida. Agradeço muito aos meus pais, minha família e meus amigos que sempre acreditaram no meu potencial. Agradeço aos meus parceiros de treino Daniel Balieiro e Lucas Vieira. Agradeço também ao meu Professor Rodolpho por sempre estar presente”, comemora André.
O novo faixa preta foi o primeiro aluno a se matricular no Projeto Judô Esporte Social. “Juninho tornou-se um símbolo de nosso Judô. Iniciou o esporte com inúmeras dificuldades motoras. Foi por muito tempo o único aluno matriculado. Cansou de treinar apenas comigo. Teve paciência e capacidade para superar todas as dificuldades e hoje vive seu dia de glória”, comenta o Professor.

Outro a comemorar essa conquista nogueirense é Alexandre Chichurra, Secretário de Esportes. “Fico muito feliz por fazer parte dessa conquista. Em 2011, quando fui Diretor de Esportes, fui abordado pelo Professor Rodolpho, que havia acabado de passar no concurso para a Secretaria. Ele me apresentou todas as diretrizes do Projeto e apostei alto no sucesso dessa idealização. Acompanhei as primeiras aulas de André, na época com apenas 10 anos. Um resultado a longo prazo como esse revela a verdadeira essência do esporte”.

O Projeto Judô Esporte Social conta agora com 4 Faixas Pretas: o Professor Rodolpho Lavoura, Kauan Cabrini, Lucas Vieira e André Jr. “Formação: essa é uma palavra freqüente em nosso dia a dia. Assim como Kauan, Lucas e Juninho tornam-se referencia aos judocas mais novos. A tendência é aumentar o número de profissionais no Judô nogueirense, consolidando ainda mais nossos ideais”, conclui Lavoura.

  

Comentários