Novembro Azul terá tenda de orientações e roda de conversa com urologista

Depois do Outubro Rosa, iniciativa voltada à conscientização sobre o câncer de mama, agora é a vez do Novembro Azul, a campanha destinada à prevenção do câncer de próstata. Assim como no mês passado, a Prefeitura de Holambra preparou ações especiais para o período. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), esse é o tipo da doença mais frequente em homens no Brasil, depois do câncer de pele. Em Holambra são registrados, em média, de 8 a 10 casos por ano.

Durante todo o mês serão distribuídos panfletos com informações sobre ações preventivas ao câncer de próstata nas unidades básicas de saúde e em diversos pontos do município. O Moinho Povos Unidos, maior monumento da cidade, já está iluminado na cor azul para chamar a atenção para a doença.

Na próxima semana, em 14 de novembro, será montada na Rota dos Imigrantes, das 10h às 19h a Tenda Azul, em que profissionais da área da saúde irão oferecer orientações aos moradores e transeuntes. Às 19h, nesse mesmo dia, o médico urologista Humberto Marino de Lúcia, da Policlínica Municipal, vai tirar dúvidas sobre câncer de próstata na Unidade Básica de Saúde do bairro Imigrantes. O bate-papo se repetirá no dia 21 de novembro, também às 19h, no PSF do Santa Margarida. Qualquer pessoa pode participar das rodas de conversa.

“É importante que o homem se cuide, procure um urologista para avaliar a necessidade de iniciar os exames a partir dos 45 anos”, explicou Valmir Marcelo Iglesias, diretor municipal de Saúde. “Informação é fundamental e o preconceito precisa ser deixado de lado. Quando o diagnóstico é feito precocemente a chance de cura é grande”.

Dia Mundial do Diabetes
Em 14 de novembro, data em que a Tenda Azul estará disponível na Rota dos Imigrantes, comemora-se também o Dia Mundial do Diabetes. Por esse motivo serão realizados gratuitamente, além das orientações acerca do câncer de próstata, exames de glicemia e explicações sobre o diabetes. Mais de 13 milhões de pessoas vivem com a doença hoje no país, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes.

Matéria: ASCOM

  

Comentários