O PRIMEIRO CENTRO DEREFERÊNCIA PARA ATENDER O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)ESTÁ LOCALIZADO NA CIDADEDEJAGUARIÚNA/SP

 

A potência no atendimento de reabilitação para pessoas com necessidades físicas ou mentais
como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) atrai muita atenção na cidade de Jaguariúna
interior de São Paulo, em função das atividades do Centro de Equoterapia de Jaguariúna
(CEJ) que há 18 anos atua como referência no Brasil na habilitação e reabilitação de pessoas
através do cavalo.
A Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo como instrumento
de reabilitação, nas áreas de saúde, educação e equitação para melhorar a qualidade de vida
de pessoas com deficiência e/ou necessidades especiais. Isso porque a prática consegue
alcançar excelentes resultados com problemas relacionados aos movimentos dos quadris e
coluna vertebral, assim como no desenvolvimento da fala, socialização e até mesmo
autoconfiança.
Em função dos ótimos resultados atendendo autistas o Centro de Equoterapia de Jaguariúna
recebeu o convite, no final do mês de Maio, para inaugurar o Primeiro Centro de Referência
do Autismo a fim de atender a demanda do Município em parceria com a Prefeitura de
Jaguariúna que, ao notar as necessidades das famílias atendidas pela Prefeitura, propôs o
início dos atendimentos do CAJ.
Segundo a secretária Municipal de Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão “Existem mais
de 120 pessoas – de idades variadas – com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em
Jaguariúna”. O Prefeito Gustavo Reis validou o projeto do Centro de Referência do Autismo
de Jaguariúna (CAJ) “o local que será construído para atender crianças autistas da cidade com
tratamento de referência e apoio às famílias”.
De acordo com o arquiteto responsável pelo projeto, Thiago Garcia, o imóvel será todo
adaptado. “Analisamos condições climáticas, espaço, disposição de ambientes e tudo o que for
necessário para o tratamento ideal aos autistas. Além disso são analisadas as legislações
federais, estaduais e municipais de proteção ao autista”, afirmou Thiago.
Segundo as informações do proprietário do CEJ, Wilson Mellilo, a propriedade conta com o
espaço físico adequado para a construção, know how e equipe altamente especializada.
“Nosso objetivo, além de oferecer a estrutura adequada às famílias da cidade e região, é a
sediar o melhor tratamento ao TEA do Brasil”.
A obra teve início no segundo semestre deste ano, mas as atividades do CAJ começaram no
dia 03 de Junho. Atualmente o Centro já atende mais de 75 crianças nas áreas de
fonoaudiologia, psicopedagogia, pedagogia e fisioterapia, através de uma adequação de 07
salas, pois o tratamento ideal e o diagnóstico precoce influenciam diretamente na qualidade
de vida do autista e de suas famílias.

 


Comentários